Tamanho do texto

Frankfurt (Alemanha), 20 nov (EFE).- O ministro das Finanças alemão, o democrata-cristão Wolfgang Schäuble, alertou hoje que a crise econômica não acabou e insistiu em que o Governo do país pretende reduzir o endividamento progressivamente.

Durante o Congresso de Bancos Europeus, realizado em Frankfurt, Schäuble disse esperar "que ninguém pense que já superamos a crise".

Mais cedo, o presidente do Banco Central Europeu (BCE), o francês Jean-Claude Trichet, tinha se pronunciado na mesma linha.

Schäuble lembrou que, graças à intervenção estatal, a situação melhorou, mas "é muito cedo para desligar o alarme".

"O sistema financeiro ainda é propenso a se debilitar, a incerteza dos participantes dos mercados é grande e os problemas no setor bancário não foram solucionados", segundo o titular da pasta de Finanças.

Segundo Schäuble, os bancos comerciais ainda precisam de capital e o aumento do desemprego pesará em suas contas de resultados, já que os endividados não poderão arcar com suas despesas.

O Governo alemão quer reduzir progressivamente o endividamento, que será de 70 bilhões de euros (US$ 103,765 bilhões) em 2010, para dez bilhões de euros anuais (US$ 14,823 bilhões) até 2016. EFE aia/bba

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.