Tamanho do texto

Microsoft, Hewlett-Packard (HP) e Nike anunciaram ontem planos de recompra de ações que, em conjunto, somam US$ 53 bilhões. As empresas estão aproveitando a queda nas bolsas e o barateamento dos papéis para fazer as operações.

Acordo Ortográfico

No caso da Microsoft, a recompra chega a US$ 40 bilhões, em um plano que deve ser concluído em cinco anos. A empresa também anunciou que vai aumentar em 18% - de US$ 0,11 para US$ 0,13 por ação - o seu dividendo trimestral. Segundo a empresa, as medidas demonstram a confiança em sua estratégia de longo prazo.

O plano de recompra sinaliza que nenhum grande plano de aquisição está no horizonte e acontece depois de a Microsoft ter dito, em 2004, que recompraria até US$ 30 bilhões em ações nos quatro anos seguintes. Esse plano foi posteriormente ampliado para US$ 40 bilhões, e já foi concluído.

A empresa observou que, nos últimos cinco anos, devolveu cerca de US$ 115 bilhões aos acionistas por meio de recompras e dividendos - um consolo para os acionistas de longa data, que possuem um papel que vem sendo negociado abaixo de US$ 30 por quase seis anos e meio.

No caso da HP, o programa de recompra é de US$ 8 bilhões, e se soma a outro, também de US$ 8 bilhões, que havia sido aprovado em novembro passado. Já o plano da fabricante de artigos esportivos Nike é de US$ 5 bilhões. A empresa já tem em andamento um plano de recompra de US$ 3 bilhões.

"Olhamos esse movimento como um voto de confiança na capacidade da companhia de gerar fortes fluxos de caixa e também como um voto de confiança no preço de suas ações", disse o analista Shaw Wu, da American Technology.

( As informações são do jornal O Estado de S.Paulo)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.