Tamanho do texto

Ministro do Planejamento afirma que salário mínimo acima de R$ 540 é decisão política

O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, admitiu nesta terça-feira a possibilidade de uma futura redução da meta de inflação do país. Ao ser questionado se a meta, que hoje está em 4,5% ao ano, poderia ser reduzida ainda no governo Dilma, ele respondeu: "acho que dá".

Falando a jornalistas, o ministro explicou que a redução da inflação estaria relacionada à intenção da presidente eleita Dilma Rousseff de reduzir o juro real a 2% em 2014.

"Se nós queremos levar o juro real para 2 pontos percentuais é bom começar a trabalhar também para levar a inflação para 2% ou 3%", disse Bernardo. "Eu falo isso como uma coisa gradual, um processo."

Ele explicou que ao falar de uma meta menor de inflação não se referia a um ano específico.

Bernardo disse também que propôs a Dilma na segunda-feira uma ação que leve a um crescimento dos gastos públicos correntes menor do que a expansão do Produto Interno Bruto (PIB). Com isso, segundo ele, em quatro ou cinco anos o volume de investimentos públicos poderia dobrar.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.