Tamanho do texto

As conversas por telefone são parte do esforço dos líderes da UE para encontrar formas de abrandar a turbulência dos mercados

selo

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, conversou nesta sexta-feira com o presidente dos EUA, Barack Obama, e com líderes da França, Itália e Reino Unido sobre a atual situação da zona do euro e dos mercados financeiros, disse um porta-voz do governo alemão. Uma autoridade da zona do euro disse que os governos da região estão sob crescente pressão da administração Obama para aumentar substancialmente os recursos da Linha de Estabilidade Financeira Europeia (EFSF, na sigla em inglês).

As conversas por telefone são parte do esforço dos líderes da UE para encontrar formas de abrandar a turbulência dos mercados financeiros desencadeada pelos temores de que as mudanças no fundo de ajuda da zona do euro acertadas na cúpula no mês passado não são suficientes para resolver os problemas do bloco.

Os líderes da União Europeia concordaram que "as decisões da cúpula de 21 de julho devem ser colocadas em prática rapidamente", segundo o porta-voz alemão, que não deu mais detalhes sobre as discussões entre Merkel e o presidente francês Nicolas Sarkozy, o primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconi e o primeiro-ministro britânico David Cameron.

Posteriormente, Merkel também discutiu a situação da economia global e da zona do euro com Obama, disse o porta-voz alemão, igualmente sem fornecer detalhes.

No dia 21 de julho, os líderes europeus aprovaram um novo pacote de 109 bilhões de euros para a Grécia e concordaram em permitir que a EFSF compre bônus no mercado secundário e faça empréstimos a governos, não só aos que estão dentro de programas de ajuda financeira.

A autoridade da zona do euro disse mais cedo que Merkel e Sarkozy discutiriam a EFSF. As mudanças acertadas no mês passado ainda precisam ser aprovadas pelos governos nacionais. O ministro da Economia da Alemanha, Philipp Roesler, criticou hoje o presidente da Comissão Europeia, José Manuel Barroso, por sugerir um aumento maior da EFSF. "Há duas semanas, decisões amplas e boas foram tomadas", disse Roesler.

Barroso disse em carta aos líderes da zona do euro que "todos os elementos" do pacote acertado no mês passado, incluindo seu tamanho, precisam ser reconsiderados ante a ampliação da crise financeira para outros países do bloco.

Os mercados financeiros despencaram em meio aos temores dos investidores de que a EFSF não tenha fundos suficientes para apoiar os mercados de bônus da Itália ou da Espanha.

As discussões entre os líderes da zona do euro nesta sexta-feira aconteceram quando os rendimentos dos bônus da Itália e da Espanha atingiam máximas recorde.

Berlusconi anunciou hoje uma série de medidas para acelerar as reformas fiscais.

Um porta-voz do governo britânico confirmou no fim da tarde que Cameron falou com Merkel "sobre a atual instabilidade nos mercados acionários na Europa e EUA. Eles concordaram em monitorar a situação de perto e se manter em contato sobre a situação. As informações são da Dow Jones.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.