Tamanho do texto

SÃO PAULO - O desempenho positivo dos papéis da Vale neste pregão e a aceleração dos ganhos do mercado americano estão contribuindo para o Ibovespa reduzir as perdas nos negócios

. Depois de marcar mínima de 71.340 pontos, por volta das 17h, o Ibovespa recuava apenas 0,18%, para 71.699 pontos, e girava R$ 9,937 bilhões. Deste total, R$ 4,87 bilhões já partiram do exercício de opções sobre ações. As "blue chips" seguram uma parte da queda do Ibovespa, já que as ações PN da Petrobras sobem 0,41%, a R$ 26,40, enquanto os papéis PNA da Vale registram valorização de 1,90%, a R$ 48,69. O presidente da mineradora, Roger Agnelli, afirmou há pouco que a empresa investirá entre US$ 26 bilhões e US$ 28 bilhões nos próximos dois anos, para finalizar seus projetos de expansão. "Queremos terminar os projetos e dobrar número de novos projetos. Fertilizantes e cobre são prioridades", comentou Agnelli. Segundo o executivo, o plano de investimentos da empresa será detalhado nas próximas duas semanas. Além disso, a empresa revelou mais cedo que sua produção de minério de ferro alcançou 82,6 milhões de toneladas métricas no terceiro trimestre do ano, o melhor resultado desde o terceiro trimestre de 2008, quando a companhia marcou o recorde de 85,8 milhões de toneladas métricas produzidas. Nos primeiros noves meses do ano, a Vale acumula produção de 227,5 milhões de toneladas métricas do produto, o que representa um crescimento de 30,4% ante o mesmo intervalo do ano passado. Também no campo positivo, entre as maiores altas do Ibovespa, figuravam os papéis ON da Brasil Ecodiesel (3,00%, a R$ 1,03), da MMX (3,25%, a R$ 13,63) e da LLX (3,30%, a R$ 9,06). A LLX espera fechar até o ano que vem o primeiro contrato firme com uma petroleira de forma a tornar viável a construção de uma unidade de tratamento de óleo no Porto do Açu, no norte do Estado do Rio de Janeiro. A empresa de logística tem memorando de entendimentos com oito companhias do setor de petróleo - entre as quais a Shell, a Devon e a comercializadora europeia Mercuria - e negocia com todas elas um acordo definitivo, que pode desembocar na construção da unidade de tratamento, que demandará US$ 1,4 bilhão para tratar até 1,2 milhão de barris diários de óleo. "Miramos fechar até o fim do ano. É possível, mas o mais provável é que a definição fique para o começo do ano que vem", disse o diretor financeiro da LLX, Leonardo Gadelha, acrescentando que o contrato firme com uma petroleira seria a condição para o início da construção da unidade de tratamento. Já as principais quedas do Ibovespa permaneciam com papéis do setor elétrico - destaques positivos da semana passada -, como Cesp PNB (-3,23%, a R$ 29,28) e Eletrobras ON (-6,87%, a R$ 24,26) e PNB (-6,96%, a R$ 28,58). Em Wall Street, as bolsas acentuaram os ganhos nesta jornada Há pouco, enquanto o índice Dow Jones avançava 0,62%, o S&P 500 subia 0,50% e o Nasdaq tinha valorização de 0,21%. O resultado mais forte que o previsto reportado pelo Citigroup no terceiro trimestre do ano está incentivando o movimento comprador no mercado americano. (Beatriz Cutait | Valor)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.