Tamanho do texto

Dow Jones cai 0,13%; avanço nas discussões para resolver a crise de dívida da Grécia é limitado pelos receios com bancos italiano

selo

Os índices das bolsas de Nova York abriram o pregão em baixa hoje, mas próximos da estabilidade, com os negócios motivados pela recuperação nas encomendas de bens duráveis nos EUA. No entanto, preocupações com bancos italianos deve limitar o entusiasmo dos investidores. Às 10h33, o Dow Jones caía 0,13%, o Nasdaq cedia 0,34% e o S&P 500 recuava 0,16%.

As encomendas de bens duráveis nos EUA subiram 1,9% em maio, para o nível sazonalmente ajustado de US$ 195,57 bilhões, informou o Departamento do Comércio. O resultado foi melhor do que a previsão dos economistas ouvidos pela Dow Jones, que esperavam alta de 1,6% nas encomendas. O dado de maio indicou recuperação, já que em abril as encomendas haviam caído 2,7%. Além disso, a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA no primeiro trimestre deste ano foi revisada de 1,8% para 1,9%.

As notícias de que está havendo progresso nas discussões para resolver a crise de dívida da Grécia também colaboram para os ganhos nas bolsas. Mas o avanço é limitado pelos receios com bancos italianos. Ontem a Moody's colocou em revisão para possível rebaixamento os ratings de 16 bancos da Itália e hoje os negócios com as ações dessas instituições na Bolsa de Milão foram suspensos após fortes quedas.

Além do alerta da Moody's, circulam no mercado rumores de que os bancos italianos não serão aprovados nos testes de estresse que estão sendo feitos na Europa.

No front corporativo, as ações da Oracle caíam 3,4% no pré-mercado. Ontem a companhia divulgou alta de 36% no lucro do seu quarto trimestre fiscal, mas informou que a demanda por seus produtos ficou estável no período. Uma previsão desanimadora de crescimento entre 10% e 20% nas vendas de novas licenças também pesou sobre as ações da empresa.

Williams Cos. caía 0,8% no pré-mercado após oferecer US$ 5 bilhões em dinheiro pela companhia de dutos Southern Union, desafiando uma oferta anterior feita pela Energy Transfer Equity. As informações são da Dow Jones.