Tamanho do texto

Lentidão da União Europeia ao ataque especulativo à Grécia ameaçou a estabilidade de toda a zona do euro, afirma Papandreou

A União Europeia (UE) teve uma reação "lenta" ao ataque especulativo contra a Grécia, o que ameaçou a estabilidade de toda a zona do euro, afirmou o primeiro-ministro grego, George Papandreou. "A UE foi lenta para perceber que o ataque dos especuladores contra a Grécia foi o último estágio de um ataque contra outros países e ameaçou a estabilidade da zona do euro", disse o primeiro-ministro em entrevista concedida ao jornal espanhol El País. "Felizmente, agora todos perceberam o que está acontecendo e estamos trabalhando juntos para adotar as medidas necessárias e proteger a zona do euro contra os especuladores."

No início deste mês, a UE e o Fundo Monetário Internacional (FMI) revelaram um plano de € 750 bilhões para evitar que uma onda de ataques especulativos contra a Grécia se espalhasse para países como Portugal e Espanha, ameaçando dessa forma a estabilidade do euro.

"A Europa tem sido lenta para tomar decisões mas, por outro lado, tomou decisões com mais rapidez do que antes", disse Papandreou. "Todas as mudanças que fizemos são históricas. Não tínhamos esses mecanismos antes", acrescentou. "Não precisamos menos da Europa, mas mais, com mais integração e coordenação das instituições europeias que podem lidar com esse tipo de coisa mais rapidamente."

O primeiro-ministro disse que seu governo está "determinado" em implementar as medidas de austeridade que tem como objetivo reduzir o déficit orçamentário da Grécia para menos de 3% do Produto Interno Bruto (PIB), conforme determinam as regras da zona do euro. "Tomamos algumas decisões muito difíceis", afirmou. "Tivemos que adotar essas medidas de emergência por pressão do mercado e demonstramos que estamos determinados." As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.