Tamanho do texto

Banco com sede no Triângulo Mineiro atua no financiamento aos clientes do atacadista Martins, grupo ao qual pertence

O Tribanco foi criado para facilitar a vida do varejo. Como o banco pertence ao atacadista Martins, sua concepção está ligada aos principais negócios do grupo. O Banco Triângulo (Tribanco) está próximo de completar 21 anos de atividade e atua basicamente no financiamento aos varejistas clientes do Martins e os clientes desse comércio.

“O banco entra como um dos fornecedores para o varejo se financiar”, conta João Rabelo, presidente-executivo do banco, lembrando que os principais clientes são farmácias, supermercados e lojas de material de construção. Para atender a massa de consumidores de seus clientes, a instituição já lançou um cartão de crédito próprio, o Tricard, além do cartão de compras com bandeira Mastercard “Supercompra”. Na opinião do presidente, os cartões hoje fazem o papel das antigas cadernetas. Outra atividade recente é a Tribanco Seguros, que atua nos ramos empresarial, residencial e de autos.

O primeiro negócio do banco, na época de sua criação, em 1990, foi atuar na área de vendor para o Martins. Vendor é uma espécie de financiamento em que o vendedor recebe à vista e comprador tem um prazo para pagar. “Somos diferentes dos outros bancos. No Tribanco, o varejo está no sangue do empresário”, afirma.

O criador

Juscelino Martins é o presidente do conselho de administração do banco. Ele é um dos filhos de Alaor Martins, criador do grupo atacadista que leva seu sobrenome e dono de 60% das ações do Martins. Alaor também integra o conselho do banco e, segundo Rabelo, dá expediente diário na instituição, apesar dos seus 76 anos de idade.

Por conta da sua vocação, o banco conta com uma rede de correspondentes que também atende aos clientes dos varejistas que compram do Martins no País todo. Segundo Rabelo, o banco está presente em 70% dos municípios brasileiros, seja com agências ou postos. “A maior concentração é nas regiões Norte e Nordeste, exatamente as que mais crescem hoje”, diz. O Tribanco tem 40 agências e, por meio dos correspondentes bancários, atende 8,8 mil varejistas. “O pagamento de contas é aceito em 4 mil pontos”, calcula o presidente.

Rabelo avalia que 2010 foi um ano muito bom para o banco. “Devemos ter crescido 30% em ativos e em número de clientes”, afirma. “O resultado aumentou mais de 50%”, complementa, sem dar os números. De acordo com o presidente, o Tribanco deve ter fechado o ano com ativos totais de R$ 2 bilhões, sendo R$ 1,5 bilhão proveniente de clientes. Para este ano, a expectativa é repetir os 30% de crescimento.