Tamanho do texto

As preocupações com a inflação na China se sobrepuseram à euforia causada pelos fortes ganhos nas bolsas estrangeiras na segunda

O índice Nikkei 225 recuou 119,60 pontos, ou 1,1%, e fechou aos 10.411,10 pontos, devolvendo a maior parte do ganho de 1,6% obtido na véspera. As ações do Mizuho Financial Group caíram fortemente com a notícia de que a instituição pode lançar uma grande e dilutiva oferta de ações.

Embora o mercado não espere que o banco central da China comece a elevar os juros neste momento, os investidores estão desconfiados, temendo uma possível desaceleração na atividade econômica, disse o gerente de uma corretora japonesa.

Fora das questões macroeconômicas, o Mizuho Financial Group foi certamente a ação mais negociada, fechando com queda de 4,7% ante a notícia de que o grupo planeja uma enorme oferta de ações, possivelmente de até 1 trilhão de ienes (US$ 10,811 bilhões). "Não que não soubéssemos que o Mizuho faria isto mais cedo ou mais tarde", comentou um administrador de fundos de uma corretora.

Como outros grandes bancos, o Mizuho há muito tempo tem sido considerado candidato a um levantamento de capital, a fim de elevar sua taxa de adequação de capital em face das regulações bancárias globais mais exigentes. Observadores do mercado estão de olho na divulgação do balanço do banco, marcada para sexta-feira, como o momento mais provável para o anúncio oficial de uma transação iminente.

Na Europa, as bolsas abriram em baixa, no dia seguinte a espetaculares altas provocadas pelo fundo de ajuda da UE aos países da eurozona. Londres caía 1,66%, Frankfurt 1,59%, Paris 1,78% e Madri 3,55%. Com informações  da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.