Tamanho do texto

Aumento do saldo comercial positivo do país asiático em julho foi "casual", segundo o governo

O superávit comercial da China deverá continuar encolhendo em 2011, e o aumento registrado em julho foi "casual", disse o porta-voz do ministério de Comércio do país, Shen Danyang, nesta quarta-feira.

Em julho, o país teve um saldo positivo em sua balança comercial de US$ 31,5 bilhões, o maior nível mensal desde janeiro de 2009 e 41% superior ao de US$ 22,3 bilhões de junho.

"O aumento em um mês e a queda no outro às vezes ocorrem", disse Shen, acrescentando que o superávit não é a única forma de o país acumular reservas em moeda estrangeira.

A China registrou volumosos superávits comerciais nos últimos anos, mas tem repetidamente prometido ampliar as importações e buscar um comércio mais equilibrado, mudando seu foco das exportações para a demanda doméstica.

Shen disse também que a China quer desenvolver relações comerciais e econômicas com a Líbia, espera que o país do norte da África vai se estabilizar em breve e quer participar da sua reconstrução.

Ele minimizou as perdas da China resultantes da turbulência na Líbia, afirmando que os números do prejuízo ainda não estão disponíveis. Shen afirmou também que os projetos na Líbia não são investimentos diretos "reais" e que a China tem apenas "projetos contratuais" lá.

Além disso, segundo ele, os projetos petrolíferos estão nas fases de desenvolvimento e exploração.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.