Tamanho do texto

Seguradora vai ampliar o número de centros automotivos de atendimento dos atuais 19 para 32 no País até o fim do ano

 A SulAmérica está traçando novas estratégias para a redução do índice de sinistralidade (percentual de prêmios utilizado para pagar sinistros) e controle de custos. Para o segmento auto, por exemplo, a seguradora pretende ampliar o número de centros automotivos de atendimento dos atuais 19 para 32 no país até o fim do ano, antecipou o vice-presidente corporativo e de Relações com Investidores, Arthur Farme D ' Amoed Neto.

Essas unidades, em que o proprietário deixa o automóvel danificado, têm como objetivo abreviar o processo de sinistro. No segundo trimestre, o seguro auto apresentou sinistralidade de 57,9%, uma queda de 5,4 pontos percentuais em relação ao mesmo período do ano passado e de 5,8 pontos percentuais na comparação com o primeiro trimestre do ano. Já o índice de sinistralidade do seguro saúde alcançou 85,8% no trimestre, um incremento expressivo de 5,1 pontos percentuais em relação ao trimestre anterior.

Para apurar o avanço maior que o esperado, a SulAmérica já solicitou uma auditoria. "Estamos estudando isso, desde auditoria de contas médicas, utilização da rede, revisão de pedidos de pagamento. Esperamos que isso traga a sinistralidade aos níveis esperados." Segundo o executivo, o término da parceria da SulAmérica com o Banco do Brasil para o controle da Brasilveículos não deve impactar as despesas administrativas da seguradora nos próximos 18 meses.

A companhia aguarda a aprovação da operação por parte da Superintendência de Seguros Privados (Susep), que deve ocorrer nos próximos 45 dias. Depois do parecer, a SulAmérica prestará serviços para a Brasilveículos por mais seis meses e meio. Passado esse período, a seguradora ficará por mais um ano apenas com a parte de regulação de serviços. "Durante a preparação da SulAmérica para esse processo não esperamos nenhum movimento grande de despesas administrativas em resultado", disse. "Os efeitos aparecerão após cerca de 18 meses, mas estamos preparados."

De acordo com o balanço divulgado na última sexta-feira, o índice de despesas de comercialização para seguros de automóveis manteve-se estável entre abril e junho na comparação como mesmo período do ano passado, em torno de 23,3%.

A SulAmérica fechou o segundo semestre do ano com lucro de R$ 52 milhões, o que representa uma queda de 37,7% em relação ao ganho apurado um ano antes (R$ 83,4 milhões). Com a venda ao Banco do Brasil do controle da Brasilveículos, cujos números deixaram de ser consolidados a partir de janeiro, a receita de prêmios de seguros marcou queda de 9,8%, na comparação anual, para R$ 1,995 bilhão de abril a junho deste ano. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.