Tamanho do texto

Arno Augustin afirmou ainda que governo quer criar ambiente para que financiamentos de longo prazo sejam feitos pelo setor privado

selo

O secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, acenou hoje com a possibilidade de novo aporte para o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Em 2011, foram direcionados para o banco de fomento R$ 55 bilhões, dos quais R$ 10 bilhões apenas foram remetidos este ano. "Estamos recém concluindo os aportes de 2011. Vamos avaliar se é o caso ou não de novo aporte. Se for, será menor do que o do ano passado", comentou hoje durante entrevista coletiva.

Leia : BNDES aprova condições para apoiar concessão de aeroportos

O secretário enfatizou que a meta do governo é a de reduzir "paulatinamente" os aportes ao BNDES. A intenção, de acordo com ele, é criar, ao mesmo tempo, um ambiente para que os financiamentos de longo prazo sejam feitos diretamente pelo setor privado. "Quero registrar a importância de termos lançado títulos de 10 anos no Brasil, a uma taxa histórica. Isso é um bom ambiente para termos mais aportes de empresas, que conseguem também taxas favorecidas", comemorou.

Veja : BNDES vai concentrar recursos de R$ 23 bilhões em infraestrutura

Na esteira da emissão do governo, empresas de grande porte foram ao mercado externo atrás de crédito. Entre elas estão Vale, Votorantim, Bradesco e JBS. "Depois do nosso ultimo lançamento, várias empresas foram ao mercado e conseguiram taxas favoráveis. É uma política bem-sucedida. Isso é uma política de médio prazo."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.