Tamanho do texto

SÃO PAULO - O investidor internacional continua com maior atuação na ponta vendedora da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), neste mês de junho

SÃO PAULO - O investidor internacional continua com maior atuação na ponta vendedora da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), neste mês de junho. Até o dia 16, o saldo direto de atuação do estrangeiro no mercado acionário brasileiro estava negativo em R$ 830,9 milhões, resultado do ingresso de R$ 25,043 bilhões e da saída de R$ 25,874 bilhões. O total, contudo, sofre uma distorção para baixo, já que no dia 6 ocorreu uma operação direta com as ações ON do Bradesco, que movimentou R$ 1,269 bilhão. Com o BES na ponta vendedora e o Bradesco na compradora, foram negociadas 49 milhões de ações, ao preço de R$ 25,90. Os controladores do Bradesco finalizaram a compra de uma participação de 5,4% na instituição financeira que estava em mãos do BES e fundos da gestora de ações Esaf. De volta ao acumulado de junho, na modalidade pessoa física, as vendas também superaram as compras na Bovespa em R$ 121 milhões até o dia 16, assim como o investidor institucional mostrou retirada líquida de R$ 63,8 milhões no período. Apenas na quinta-feira passada, quando o Ibovespa recuou 1,17%, para 60.880 pontos - patamar mínimo de 2011 -, o fluxo direto do estrangeiro ficou positivo em R$ 8,9 milhões na Bolsa. No ano, o resultado da atuação do investidor internacional na Bovespa está negativo em cerca de R$ 1,6 bilhão. No mercado futuro, a posição "vendida" (aposta de baixa) do estrangeiro em Ibovespa futuro atingiu 93.524 contratos na sexta-feira (17) na Bolsa de mercadorias e Futuros (BM&F), superior em 2.490 contratos em relação aos dados do dia 16 (-91.034). (Beatriz Cutait | Valor)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.