Tamanho do texto

Planos VGBL, indicados para quem não declara imposto pelo modelo completo, tiveram captação de R$ 3,1 bi

selo

A previdência privada aberta fechou o mês de agosto com arrecadação de R$ 3,9 bilhões, um crescimento de 27,33% na comparação com o mesmo período do ano passado, quando R$ 3,08 bilhões ingressaram no sistema. Os dados são da Federação Nacional de Previdência Privada e Vida (Fenaprevi).

Os planos VGBL - indicados para quem não declara imposto pelo modelo completo - responderam por 80,04% dos novos recursos em agosto, com captação de R$ 3,1 bilhões, alta de 31,04% ante agosto de 2009. Segundo a entidade, o desempenho do VGBL deve-se à popularização do produto.

Já o PGBL - plano adequado para quem faz a declaração completa do Imposto de Renda e que permite deduzir até 12% do valor a ser pago à Receita Federal - cresceu 21,07% no período, com arrecadação de R$ 523,7 milhões.

Ainda de acordo com a Fenaprevi, os planos tradicionais fecharam agosto com R$ 259,3 milhões em captação (alta de 2,90%), enquanto os outros produtos de previdência, como o FAPI, PGRP e VGRP, arrecadaram R$ 1,3 milhão, com retração de 10,74%.

Com o resultado de agosto, os ativos do mercado de previdência complementar apresentaram crescimento de 22,39% ante o mesmo mês de 2009 e passaram a somar R$ 205,4 bilhões.

A Bradesco Vida e Previdência liderou o ranking de arrecadação em agosto, com 33,69% do total, seguida pela BrasilPrev (ligada ao Banco do Brasil), com 22,19%, e Itaú Vida e Previdência (16,72%).

No acumulado de janeiro a agosto de 2010, os planos de previdência arrecadaram R$ 27,1 bilhões, crescimento de 17,92% em relação ao mesmo período do ano anterior, conforme os dados da Fenaprevi.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.