Tamanho do texto

Dados econômicos chineses, que sugerem a adoção de medidas de aperto monetário por parte de Pequim, influenciaram os mercados

Após as fortes altas verificadas na segunda-feira, a maioria dos mercados da Ásia apresentou queda nesta terça-feira. Na Europa, as bolsas abriram em baixa, no dia seguinte a espetaculares altas provocadas pelo fundo de ajuda da UE aos países da eurozona. Londres caía 1,66%, Frankfurt 1,59%, Paris 1,78% e Madri 3,55%.

A realização de lucros no peso pesado HSBC e o aumento da inflação na China pesaram negativamente na Bolsa de Hong Kong. O índice Hang Seng caiu 280,13 pontos, ou 1,4%, e terminou aos 20.146,51 pontos.

Os números da inflação chinesa, mais fortes que o esperado, e dos empréstimos bancários em abril fizeram as Bolsas da China caírem para o menor nível em quase um ano. O índice Xangai Composto baixou 1,9% e encerrou aos 2.647,57 pontos, o pior fechamento desde 27 de maio de 2009. O índice Shenzhen Composto perdeu 2,4% e terminou aos 1.024,65 pontos.

O yuan teve a maior baixa em três meses em relação ao dólar, com o fortalecimento da moeda norte-americana sobre o euro e novas preocupações sobre os problemas fiscais na zona do euro, a despeito do último pacote de salvamento para a Grécia. No mercado de balcão, o dólar fechou cotado em 6,8290 yuans, de 6,8265 yuans do fechamento de segunda-feira.

A Bolsa de Taipé, em Taiwan, foi no embalo do declínio dos demais mercados. O índice Taiwan Weighted caiu 0,7% e fechou aos 7.608,44 pontos.

Na Coreia do Sul, o índice Kospi da Bolsa de Seul recuou da alta inicial para fechar em queda de 0,4%, terminando aos 1.670,24 pontos.

Na Austrália, os traders manifestaram algum nervosismo antes da divulgação do orçamento federal, que ocorreria às 6h30 (de Brasília), dado o baixo posicionamento do governo do Partido Trabalhista nas pesquisas de opinião. O índice S&P/ASX 200 perdeu 1,1% e fechou aos 4.548,0 pontos.

Nas Filipinas, o ambiente pacífico em que transcorreram as eleições no país, na segunda-feira, contribuiu para a alta de 3,8% no índice PSE da Bolsa de Manila, que fechou aos 3.262,93 pontos.

A Bolsa de Cingapura perdeu os ganhos da manhã para fechar no vermelho, uma vez que a euforia sobre o pacote de ajuda à Europa deu lugar a dúvidas sobre a capacidade de a Grécia e outros países com problemas de dívidas superaram a crise. Investidores preferiram se safar realizando lucros, o que fez o índice Straits Times recuar 0,8%, fechando aos 2.857,67 pontos.

O índice composto da Bolsa de Jacarta, na Indonésia, recuou 1,3% e fechou aos 2.812,89 pontos, seguindo as perdas nos demais mercados regionais, com as preocupações sobre os problemas financeiros na Europa.

O índice SET da Bolsa de Bangcoc, na Tailândia, recuou 0,9% e fechou aos 772,09 pontos, com ganhos revertidos seguindo as baixas nos demais mercados regionais. As manifestações políticas na capital também influíram no sentimento do mercado.

O índice composto de cem blue chips da Bolsa de Kuala Lumpur, na Malásia, teve alta de 0,5% e fechou aos 1.340,72 pontos, liderado por pesos pesados na expectativa de forte crescimento econômico, estimulada pelos dados de produção industrial de março.A expectativa é de que o PIB cresça 9,6% no primeiro trimestre, ante 4,5% no quarto trimestre de 2009. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.