Tamanho do texto

Ex-presidente do BC reconheceu ainda possibilidade de recessão mundial, mas ponderou que esse não é o cenário mais provável

selo

O economista Henrique Meirelles, presidente da Autoridade Pública Olímpica e ex-presidente do Banco Central (BC), reconheceu hoje a possibilidade de uma recessão mundial, mas ponderou que esse não é o cenário mais provável. Na avaliação dele, a tendência predominante é de que haja um baixo crescimento da economia mundial, com alguns momentos até mesmo de crescimento negativo.

"Há uma possibilidade de recessão, sim. Mas não é a hipótese mais provável", afirmou Meirelles. "Para se configurar uma recessão é preciso haver pelo menos dois trimestres consecutivos de crescimento negativo", lembrou.

O ex-presidente do BC presidiu hoje cerimônia de entrega do Prêmio Abrasca de Criação de Valor 2011, promovida na capital paulista. Ele observou ainda que uma recessão só pode ser considerada séria quando há um crescimento negativo por um período maior. "De qualquer maneira, é possível que haja recessão e é algo que todos nós estamos trabalhando para evitar", disse.

Ontem, a agência de classificação de risco Moody's havia divulgado comunicado rebaixando o rating do Japão de Aa2 para Aa3, com perspectiva estável. A entidade citou como justificativa o déficit orçamentário japonês e as dívidas acumuladas desde a recessão mundial em 2009. O rebaixamento alimentou no mercado mundial a apreensão em torno de uma nova recessão.