Tamanho do texto

Preços da commodity têm acompanhado o desempenho das bolsas nos últimos dias. Mercados operam de olho em reunião do BC dos EUA

selo

Os contratos futuros de petróleo operam com bastante volatilidade na manhã de hoje, alternando momentos de queda e de alta, enquanto os investidores esperam a decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA).

Em uma sessão marcada por altos e baixos, os preços do petróleo tentam uma recuperação. No entanto, depois do tombo de 6,4% apresentado ontem pelo WTI, em Nova York, em reação ao rebaixamento do rating (nota) dos EUA e ao medo de uma segunda recessão no país, analistas estão cautelosos com relação a um rali de alívio.

"Nós tivemos tantos dias de queda consecutivos que é natural ver uma recuperação", afirmou Matt Smith, analista de petróleo da Summit Energy. Ainda assim, Smith alertou que o mercado está "muito frágil" e pode haver mais vendas se os comentários do Fed hoje não inspirarem confiança nos EUA.

Nos últimos dias, o petróleo vem acompanhando o desempenho das bolsas, com as ações servindo como indicador das expectativas sobre a economia mais ampla. Qualquer desaceleração na economia global pode reduzir a demanda por petróleo e outras commodities industriais, o que mantém os preços sob pressão.

Ontem analistas do Bank of America-Merrill Lynch disseram que uma recessão moderada pode derrubar os preços do petróleo nos EUA para cerca de US$ 50 por barril. Os contratos futuros de petróleo caíram mais de 15% neste mês, mas operadores disseram que uma recuperação hoje terá vida curta se o Fed não sinalizar que planeja tomar alguma atitude.

Às 11h (de Brasília), o petróleo WTI para setembro subia 0,96% na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), para US$ 82,09, depois de ter chegado à mínima no dia de US$ 75,71 por barril mais cedo. O brent para setembro avançava 0,67% na plataforma ICE, para US$ 104,44 por barril, com mínima verificada no dia de US$ 98,74 por barril. As informações são da Dow Jones.

    Leia tudo sobre: bovespa

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.