Tamanho do texto

Mesmo com a redução, o fluxo cambial acumula entrada líquida de US$ 39,4 bi em 2011, quase 7 vezes mais que em 2010, de US$ 5,9 bi

selo

O fluxo cambial para o Brasil em junho, até o último dia 10, foi negativo em US$ 2,936 bilhões, de acordo com dados divulgados nesta quarta-feira pelo Banco Central (BC). O resultado decorre de um fluxo financeiro também negativo no período, de US$ 3,490 bilhões, com ingressos de US$ 11,885 bilhões e saídas de US$ 15,375 bilhões. Já o fluxo comercial ficou positivo em US$ 555 milhões, com US$ 6,444 em exportações e US$ 5,889 bilhões em importações. 

Nos oito primeiros dias úteis de junho de 2010, o fluxo cambial havia sido negativo em US$ 1,776 bilhão, com o segmento comercial apresentando déficit de US$ 798 milhões e o financeiro registrando saldo negativo de US$ 978 milhões. Com o resultado das duas primeiras semanas de junho de 2011, o fluxo cambial acumula no ano entrada líquida de US$ 39,454 bilhões. Em igual período do ano passado, o fluxo estava positivo em US$ 5,867 bilhões. 

O fluxo comercial em 2011 acumula saldo positivo de US$ 15,370 bilhões, resultado de exportações de US$ 100,112 bilhões e importações de US$ 84,742 bilhões. Já o financeiro apresenta, no ano, saldo positivo de US$ 24,083 bilhões, resultado de entradas de US$ 189,416 bilhões e saídas de US$ 165,333 bilhões. 

Reservas

As intervenções do Banco Central no mercado de câmbio à vista elevaram as reservas em US$ 1,665 bilhões em junho, até o dia 10, conforme os dados divulgados pelo Banco Central.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.