Tamanho do texto

Recomendação foi de neutra para compra, com preço-alvo estimado para 12 meses em R$ 92, 26% acima do anterior

O Bank of America Merrill Lynch elevou a recomendação para os papéis PN do Pão de Açúcar de "neutra" para "compra", e aumentou o preço-alvo em 12 meses em 26%, de R$ 73 para R$ 92. O BTG Pactual propôs na terça-feira uma fusão entre as operações no Brasil do Carrefour e do Pão de Açúcar.

O sócio francês do empresário Abilio Diniz, a rede Casino, não tem se mostrado satisfeita com a condução dos negócios. Na noite de ontem, o grupo revelou que aumentou mais uma vez sua participação no Grupo Pão de Açúcar (GPA), agora em 16,1 milhões de ações preferenciais, o que corresponde a 6,2% do capital. "A participação econômica total, incluindo ações ordinárias, vai a 43,1% do capital do GPA", revelou.

Em meados deste mês, o Casino já havia ampliado sua participação no GPA para 37%. O BofA Merrill Lynch considera uma probabilidade de 70% de que a fusão seja concretizada. O envolvimento do BNDES na operação, por meio da possível colocação de R$ 3,91 bilhões no negócio, é mais um sinal, na avaliação do banco, de que a transação seja consumada.

A instituição enxerga uma probabilidade alta de capacidade do Carrefour de criar valor para os acionistas do Pão de Açúcar. O banco considera, no entanto, que a legislação brasileira pode se sobrepor ao voto dos acionistas. Mesmo aprovada pelos acionistas de todas as empresas envolvidas, a operação segue para avaliação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), que pode impor restrições ao negócio.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.