Tamanho do texto

Dados sugerem que país asiático deve evitar uma desaceleração forçada da economia

O principal índice das ações europeias subiu em um pregão de repique nesta terça-feira, após dados sugerirem que a China deve evitar uma desaceleração forçada da economia.

De acordo com dados preliminares, o índice FTSEurofirst 300 avançou 0,8%, para 1.100 pontos. O índice ainda acumula queda de 3,6% em junho, afetado por temores sobre a crise da dívida na região e pela preocupação com a desaceleração econômica global.

Em um amplo movimento de alta, bancos estiveram entre os destaques. BNP Paribas, Banco Santander e UniCredit avançaram entre 2,2% e 2,5%, embora o índice STOXX Europe 600 Banking Index ainda tenha queda de mais de 4% em 2011.

"O mercado ficou vendido em excesso, com algumas ações abaixo da média móvel de 200 dias, e nós tivemos alguns dados razoáveis da China pela madrugada que quebraram a tendência (de indicadores ruins recentemente)", disse James Buckley, gestor de fundos da Baring Asset Management, que tem 30 bilhões de libras sob gestão.

"Em um momento em que não há um fluxo de notícias corporativas de fato, essa combinação foi suficiente para empurrar o mercado para cima."

Em LONDRES, o índice Financial Times fechou em alta de 0,51%, a 5.803 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX avançou 1,69%, para 7.204 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 subiu 1,5%, para 3.864 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib encerrou em alta de 1,38%, a 20.358 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou ganho de 1,87%, para 10.132 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 teve valorização de 0,8%, para 7.338 pontos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.