Tamanho do texto

Pesquisa mostra que 56% dos brasileiros reclamam das tarifas, muito mais altas que em países como Inglaterra e EUA

selo

Os juros altos são o principal ponto negativo dos cartões de crédito no Brasil, segundo pesquisa do Instituto Datafolha divulgada nesta quarta-feira. Ao todo, 56% da população considera os altos juros como principal problema dos cartões. Outros 26% apontam ainda a cobrança de anuidade e o fato do cartão levar a um descontrole de gastos.

Entre os pontos positivos, segundo 48% dos entrevistados, está a possibilidade de parcelar compras e o prazo de até 40 dias para o pagamento. A segurança também é apontada como um ponto forte pelo fato de o cartão dispensar o uso do dinheiro. "Os juros altos ainda são a principal barreira para os consumidores", diz o diretor do Datafolha, Paulo Luis Gomes Alves.

Dados apresentados pela Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs) mostram que as taxas dos cartões no Brasil variam de 188% a 433% ao ano. No Reino Unido, estão em um intervalo bem menor, de 6,8% a 31,5%. A comparação com os Estados Unidos também mostra taxas muito mais baixas por lá, variando de 8,99% a 28,7% ao ano.

"No Brasil, poucos pagam por muitos", diz o diretor da Abecs e presidente do cartão Hipercard, Ivo Vieitas. Segundo ele, a maior parte dos financiamentos no Brasil (68% do total) é feita no parcelado lojista, em que o estabelecimento divide a compra em parcelas sem juros no cartão. Só uma pequena parcela usa o crédito rotativo, que é feito com taxas mais altas e que acabam pagando por todo o resto. Nos EUA, não há o parcelado sem juros, apenas o financiamento da fatura, que responde por 79% dos financiamentos.

No cartão de débito, o principal ponto fraco apontado pelo Datafolha é o temor de clonagem ou fraude do cartão, segundo 24% dos entrevistados. Os pontos positivos são a maior agilidade e praticidade, já que não é preciso usar o dinheiro, e a rapidez da transação - ao contrário, por exemplo, do cheque, no qual a pessoa precisa fornecer dados pessoais e telefones quando faz um pagamento. A pesquisa do Datafolha foi feita com 1.916 pessoas acima de 18 anos, em 11 capitais nas cinco regiões do Brasil entre os dias 12 e 23 de julho. A margem de erro é de dois pontos porcentuais. Os resultados foram apresentados nesta quarta-feira no 5º CMEP - Congresso Brasileiro de Meios de Eletrônicos de Pagamento, promovido pela Abecs, em São Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.