Tamanho do texto

Ações da Motorola dispararam 56% em Nova York, ofuscando números ruins da atividade industrial nos EUA

A Bolsa de Valores de São Paulo fechou em alta de 2,20%, para 54.651 pontos. Os negócios com ações começam com valorização, acompanhando o movimento das bolsas europeias e norte-americanas. Após fortes turbulências nas duas últimas semanas, analistas acreditam que o mercado possa apresentar menor volatilidade de agora em diante. Mas lembram que ainda é preciso cautela pois os problemas de dívida das economias europeias ainda não foram equacionados.

Nesta segunda-feira, dados da economia do Japão , que teve uma retração menor do que o esperado por analistas, contribuem para que os mercados de ações operem no azul. A notícia de compra da Motorola Mobility pelo Google também animou os negócios nos Estados Unidos.

"O 'zero a zero' da última semana já demostra que o mercado está começando a acalmar," diz Márcio Cardoso, diretor da Título Corretora. Na semana passada, que foi de muita turbulência nos mercados de ações, o Ibovespa acumulou uma leve valorização de 0,98% , depois de ter chegado a despencar 8,08% na segunda-feira.

"A semana inicia-se com promessa de menos volatilidade e investidores mais focados em fundamentos, ainda com foco principal nos acontecimentos na Europa," dizem em relatório os analistas da Lerosa Investimentos.

As notícias sobre o Japão e a compra do Google ajudaram a diminuir o impacto dos dados de atividade industrial na região de Nova York, nos Estados Unidos. O índice mostrou contração da atividade pelo terceiro mês seguido, em agosto. Em Wall Street, Dow Jones subiu 1,9%, Nasdaq avançou 1,88% e S&P 500 teve alta de 2,18%.As ações da Motorola Mobility dispararam 56% e ajudaram a puxar outras ações do segmento de tecnologia.

Na Europa, as bolsas fecharam em alta pelo terceiro pregão seguido, com destaque para papéis da Nokia . Os índices desaceleraram ao longo do dia com informações de que a chanceler alemã, Angela Merkel, e o presidente da França, Nicolas Sarkozy, não vão discutir amanhã o tema da criação de um bônus europeu , ou eurobônus, como uma das soluções para a atual crise de dívida da zona do euro.

Veja também: Chave para a crise é criação de um único título europeu, diz Standard Bank

Analistas do Goodbody Stockbrokers disseram que o encontro entre Merkel e Sarkozy, assim como os anteriores, deve desapontar. "Para nós, a solução final para a crise na Europa terá de envolver uma baixa contábil da dívida soberana e os eurobônus", afirmaram.

O mercado está atento também aos números sobre o volume de títulos do governo da Itália e da Espanha comprados pelo Banco Central Europeu (BCE), que serão divulgados mais tarde.

Na Ásia, após o turbilhão da semana passada, as bolsas iniciaram a semana com bastante otimismo. Todos os mercados da região fecharam em alta por conta do embalo positivo de Wall Street verificado na sexta-feira e dos bons números da economia norte-americana. Não houve negociações na Coreia do Sul por ser feriado.

(Com agências)

Leia mais:

Estrangeiro volta para Bolsa e dólar cai a R$ 1,59

Um mundo sem FMI e Banco Mundial? Essa ideia existiu

Google comprará Motorola Mobility por US$ 12,5 bilhões

    Leia tudo sobre: bovespa