Tamanho do texto

Em crise, país consegue melhorar resultado de 2010 após dois planos de ajuste

A Itália registrou em 2011 um déficit público de 3,9% em seu Produto Interno Bruto (PIB), o que representa uma grande baixa com relação ao 4,6% de 2010, informou nesta sexta-feira o Instituto Nacional de Estatística da Itália (Istat).

Este dado melhora em um décimo as previsões da Comissão Europeia para a Itália, que situavam em 4% o déficit de 2011, enquanto o Governo tinha falado sobre 3,8%.

Com os dois planos de ajuste de verão do Governo de Silvio Berlusconi e de Mario Monti a Itália espera conseguir o equilíbrio orçamentário em 2013.

Já a dívida pública se situou no final de 2011 em 120,1% do PIB, o máximo desde 1996, enquanto em 2010 era de 118,7% e as previsões oficiais eram de 120,6%.

A pressão fiscal no ano passado alcançou 42,5%, enquanto em 2010 era de 42,6%.

O Istat também confirmou o dado divulgado no dia 14 de fevereiro de que o crescimento do PIB em 2011 foi de 0,4%, mas corrigiu o dado de 2010 no qual a economia italiana avançou 1,8% e não 1,4% como foi dito então.

Também foi confirmado que a Itália entrou oficialmente em recessão técnica depois que seu Produto Interno Bruto (PIB) no período de setembro a dezembro de 2011 se contraiu em 0,7% com relação ao trimestre anterior.

O PIB italiano já tinha caído 0,2% no período de julho a setembro desse ano, com relação ao segundo trimestre de 2011, acrescentou o Istat.

Desta maneira, a Itália voltou a entrar em recessão, depois de ter se recuperado no segundo trimestre de 2009.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.