Tamanho do texto

Empresa é subsidiária do grupo espanhol Isolux Corsán para concessões de rodovias e transmissão de energia

selo

A Isolux Infrastructure SA entrou hoje com pedido de registro de oferta inicial de ações na Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Ainda não há detalhes sobre a operação.

A empresa é subsidiária do grupo espanhol Isolux Corsán para as atividades de concessões de rodovias e transmissão de energia e geração de energia solar.

Na semana passada, os executivos do grupo espanhol haviam comunicado à presidente Dilma Rousseff a decisão de transferir para o Brasil a sede da Isolux Infrastructure e de investir R$ 5 bilhões no País, até 2014.

Na ocasião, o presidente do conselho de administração da Isolux Infrastructure, João Nogueira Batista, explicou que a empresa espanhola escolheu transferir sua sede para o Brasil, em detrimento a Índia, México, Estados Unidos e a própria Espanha, onde ela nasceu, por causa do atual estágio de desenvolvimento do Brasil e da situação privilegiada em que o País se encontra ante a crise internacional.

Ele também havia indicado a intenção de abrir o capital da empresa. A empresa já explora 680 quilômetros da BR-324, da Via Bahia, que vai de Salvador à divisa de Minas Gerais e está interessada na concorrência que será aberta pelo governo para administrar a BR-101, também na Bahia.

De acordo com Nogueira Batista, a empresa quer incrementar no Brasil o desenvolvimento de projetos de energia solar. A Isolux possui 42 centrais de energia solar e uma capacidade instalada de 168 megawatts (MW). Os projetos estão espalhados em países da Europa, América Latina, além de Índia e Estados Unidos.