Tamanho do texto

Já o estrangeiro e o investidor pessoa física preferiram não se arriscar e venderam ações

O investidor institucional enxergou oportunidades no pior pregão de 2011 e aproveitou para ir às compras no mercado acionário brasileiro. No dia 8 de agosto, quando a aversão a risco disparou e o Ibovespa teve forte queda de 8,08%, o institucional injetou liquidamente R$ 158,4 milhões na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa).

Já o estrangeiro e o investidor pessoa física preferiram não se arriscar e a saída de capital superou a entrada em R$ 281 milhões e em R$ 52,6 milhões, respectivamente. O movimento diário, contudo, não reflete o quadro do mês.

Em agosto até o dia 8, o investidor internacional tem saldo líquido positivo de R$ 101,4 milhões na Bolsa, enquanto o resultado segue negativo para a pessoa física (R$ 409,3 milhões) e para o institucional (R$ 569,1 milhões).

No ano, o estrangeiro segue com fluxo positivo de R$ 391 milhões na Bovespa. No mercado futuro, o estrangeiro também mostra menor pessimismo com relação à trajetória da Bolsa. A posição "vendida" (aposta de queda) em Ibovespa futuro sofreu forte ajuste de baixa, ao cair para 89.142 contratos ontem.

De acordo com os dados da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), este é o menor valor desde o dia 8 de julho. Na segunda-feira passada (8), a posição "vendida" correspondia a 95.770 contratos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.