Tamanho do texto

Ação da Brasil Pharma estreou com queda de 4,92%

O  fim de semana prolongado acabou, mas a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) ainda viveu mais um dia de feriado. O índice Bovespa (Ibovespa) acompanhou a alta do mercado norte-americano, mas numa sessão de giro fraco, um pouco acima do registrado na sexta-feira. Se por um lado Petrobras ajudou a sustentar os ganhos, Vale jogou contra.

O Ibovespa terminou o dia em alta de 0,33%, aos 61.216,98 pontos. Na mínima, registrou 60.772 pontos (baixa de 0,40%) e, na máxima, os 61.456 pontos (alta de 0,72%). No mês, acumula perdas de 5,27% e, no ano, de 11,67%. O giro financeiro totalizou R$ 4,755 bilhões, o menor do mês. Os dados são preliminares. Na sexta-feira, o volume totalizou R$ 4,243 bilhões.

A Bovespa acompanhou a alta do mercado norte-americano, onde as bolsas foram impulsionadas principalmente pelas ações de bancos, após o anúncio de novas regras para proteger o sistema financeiro. O índice Dow Jones fechou em alta de 0,91%, aos 12.043,56 pontos, o S&P subiu 0,92%, aos 1.280,10 pontos, e o Nasdaq ganhou 1,33%, aos 2.688,28 pontos.

A alta ocorreu a despeito dos indicadores econômicos fracos divulgados hoje. O Departamento do Comércio anunciou que o consumo nos EUA ficou estável em maio na comparação com abril, enquanto a renda pessoal avançou 0,3%. Analistas esperavam que os gastos subissem 0,1% e a renda aumentasse 0,4%. Já o Federal Reserve Bank de Chicago reportou que a produção industrial na região do Meio Oeste subiu 0,6%, para 84,0, de 83,6 em abril. Já o índice de atividade geral das empresas caiu para -17,5 em junho, de -7,4 em maio, informou o Fed de Dallas.

Aqui, Petrobras ajudou a sustentar o índice. A ação ON subiu 0,91% e a PN, 0,92%. Na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês), o contrato do petróleo para agosto encerrou em baixa de 0,60%, a US$ 90,61. A Petrobras anunciou a descoberta de indícios de petróleo em dois poços localizados em Sergipe e na bacia de Campos (litoral do Estado do Rio de Janeiro). Vale ON caiu 0,74% e a PNA recuou 0,14%.

Brasil Pharma

As ações ordinárias (ON, com direito a voto) da BR Pharma estrearam hoje na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) com forte queda. Negociados sob o código BPHA3, os papéis recuaram 4,92%, para R$ 16,40, e movimentaram R$ 72,686 milhões.

O preço por ação na oferta pública inicial realizada pela rede de drogarias, controlada pelo BTG Pactual, foi fixado em R$ 17,25 - pouco abaixo do ponto médio do intervalo de R$ 16,25 a R$ 19,25 que estava previsto no prospecto da oferta. A companhia já levantou R$ 414 milhões na oferta primária, mas, no caso de excesso de demanda, a oferta poderá alcançar R$ 465,75 milhões, a depender do exercício do lote suplementar de ações.

A maior parte dos recursos captados, equivalente a 70% do total, será destinada a aquisições de outras redes, abertura de novas lojas e capital de giro. A empresa também pretende utilizar aproximadamente 7,5% do volume financeiro captado na implementação de sistemas de integração e central de serviços compartilhados, e 10% para o desenvolvimento de novos produtos e da marca.

Os 12,5% restantes vão aos sócios fundadores da Drogaria Rosário como pagamento do ajuste do preço da aquisição (earn out) e do exercício da opção de compra de ações. Essa parcela também inclui o pagamento do exercício da opção de compra de ações da Guararapes Brasil. Durante 18 meses após a oferta, as ações da companhia serão negociadas em lotes indivisíveis de 10 mil papéis.

Veja também:

Dólar cai 0,50%, a R$ 1,596, com perspectiva melhor para Grécia

    Leia tudo sobre: bovespa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.