Tamanho do texto

Sem indicadores relevantes na agenda, investidores adotam certa cautela no início da semana

Após uma abertura levemente positiva , a bolsa brasileira passou a acompanhar o rumo externo e a registrar queda. Sem indicadores relevantes na agenda, os investidores adotam certa cautela no início da semana.

Por volta das 11h40, o Ibovespa cedia 0,89%, aos 63.770 pontos, e girava R$ 2,281 bilhões. Na sexta-feira passada, o Ibovespa havia avançado 0,19%, aos 64.340 pontos. No mercado de câmbio, o dólar comercial operava em alta de 0,51%, cotado a R$ 1,584 na venda.

Nos Estados Unidos, instantes atrás, o índice Dow Jones caía 0,27%, o S&P 500 recuava 0,46% e o Nasdaq registrava baixa de 0,13%.

No cenário europeu, entre as poucas notícias do dia, a agência de estatísticas Eurostat revelou que o índice de preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês) na zona do euro subiu 0,9% na passagem entre março e abril. Na base anual, a inflação ficou em 6,7%.

Na União Europeia, o índice de preços ao produtor subiu 1% de março para abril e mostrou inflação de 7,8% pela taxa anual.

Em Portugal, o mercado está atento ao resultado das eleições de domingo. A oposição venceu as eleições legislativas e o novo governo deve ser chefiado por Pedro Passos Coelho. Sua missão será aplicar as duras medidas de austeridade impostos pelo pacote de ajuda ao país de 78 bilhões de euros da União Europeia e do FMI.

Com a apuração praticamente encerrada na noite de ontem, o Partido Social Democrata (PSD, que é conservador, apesar do nome) obteve 39% dos votos e ficou com 105 das 230 cadeiras do Parlamento português.

Já na Grécia, um alto funcionário do Banco Central Europeu (BCE) disse que o país poderá pagar suas dívidas se vender bilhões de ativos estatais e for adiante com os planos de corte orçamentário.

Lorenzo Bini Smaghi comentou que a Grécia, com uma dívida de 330 bilhões de euros e ativos "negociáveis" de 300 bilhões de euros, é "solvente em certa medida, uma vez que deseje se desfazer de alguns de seus ativos".

Na cena corporativa brasileira, a maior parte das ações do Ibovespa registra queda, com destaque para o desempenho de CCR ON (-1,54%, a R$ 46,58), Rossi ON (-1,73%, a R$ 14,15) e Cosan ON (-1,81%, a R$ 24,35).

Entre as chamadas "blue chips", minutos atrás, Vale PNA cedia 0,38%, a R$ 44,32, enquanto Petrobras PN caía 0,42%, a R$ 23,68, e OGX Petróleo ON se depreciava em 1,07%, a R$ 15,61.

Na direção oposta, as principais altas partiam dos papéis TIM Participações PN ( 1,68%, a R$ 7,83), Brasil Ecodiesel ON (1,40%, a R$ 0,72) e Light ON (1,21%, a R$ 28,39).

Fluxo externo

Ainda no mercado brasileiro, o fluxo estrangeiro na Bovespa está positivo em R$ 111,2 milhões nos dois primeiros dias de junho, resultado de compras no valor de R$ 4,1 bilhões e de vendas de cerca de R$ 4 bilhões.

Apenas na quinta-feira passada (2), quando o Ibovespa subiu 1,27%, para 64.218 pontos, o estrangeiro mostrou retirada líquida de R$ 118,6 milhões do mercado. No ano, o resultado da atuação do investidor internacional na bolsa brasileira segue negativo em aproximadamente R$ 655 milhões.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.