Tamanho do texto

SÃO PAULO - Com o indicador mais aguardado da semana, o mercado de trabalho americano decepcionou analistas, ao mostrar uma criação de vagas em maio aquém do esperado e uma alta na taxa de desemprego

. As preocupações com o ritmo de recuperação da economia dos Estados Unidos só aumentaram e afetam diretamente a disposição dos agentes em assumir riscos. Bolsas mundiais e commodities registram queda nesta manhã e o mercado brasileiro acompanhou essa direção em sua abertura. Há pouco, entretanto, o Ibovespa ganhou força e inverteu a direção no pregão. Por volta das 11h, o índice, que chegou a marcar mínima de 63.628 pontos, subia 0,26%, aos 64.387 pontos, e girava R$ 1,337 bilhão. Na BM&F, o Ibovespa futuro, com vencimento em junho, apresentava valorização de 0,23%, com o registro de 64.620 pontos. Nos Estados Unidos, as praças acionárias seguem em baixa. Instantes atrás, o índice Dow Jones cedia 0,84%, o S&P 500 recuava 0,71% e o Nasdaq recuava 0,73%. Destaque do dia, a economia americana criou 54 mil postos de emprego em maio e a taxa de desemprego subiu de 9% em abril para 9,1% um mês depois. Na cena europeia, o mercado segue de olho na possibilidade de uma ajuda adicional à Grécia. Representantes da União Europeia (UE) e do Fundo Monetário Internacional (FMI) completam hoje a revisão do plano do país para a venda de ativos e medidas de austeridade, uma vez que preparam o país para um segundo pacote de ajuda financeira em pouco mais de um ano. O premiê grego George Papandreou vai discutir as descobertas em uma visita a Jean-Claude Juncker, que lidera o grupo de ministros das Finanças da zona do euro, em Luxemburgo. Enquanto o plano não sai do papel, a agência Moody's reduziu hoje o rating da dívida sênior e de depósito de oito bancos gregos - National Bank of Greece, EFG Eurobank Ergasias SA, Alpha Bank AE, Piraeus Bank SA, Agricultural Bank of Greece (ATE), Attica Bank SA, Emporiki Bank of Greece e General Bank of Greece. No Brasil, o mercado está atento ao maior ritmo de crescimento da economia nos três primeiros meses de 2011. O Produto Interno Bruto (PIB) do país avançou 1,3% entre janeiro e março, no comparativo com o quarto trimestre de 2010. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) ainda revisou para cima o desempenho da economia nos três últimos meses do ano passado, de crescimento de 0,7% para 0,8%. A economia ainda apresentou expansão de 4,2% no primeiro trimestre deste calendário, na comparação com igual período do ano passado. Dentro do Ibovespa, a maior parte dos papéis opera em alta, mas os de peso mais representativo recuam. Há pouco, Vale PNA cedia 0,58%, a R$ 44,45, Petrobras PN tinha baixa de 0,04%, a R$ 23,94, e OGX Petróleo ON se depreciava em 0,44%, a R$ 15,51. Destaque negativo ainda para as ações Marfrig ON (-0,84%, a R$ 14,01), Usiminas PNA (-0,91%, a R$ 15,15) e Hypermarcas ON (-1,02%, a R$ 15,49). Já as principais altas pertenciam aos papéis Light ON (2,80%, a R$ 28,22), TIM Participações PN (2,08%, a R$ 7,82) e Brookfield ON (1,98%, a R$ 8,72). Cemig PN ainda subia 1,88%, a R$ 30,21. O conselho de administração da Transmissora Aliança de Energia Elétrica (Taesa), que pertence a um grupo de fundos e à Cemig, aprovou ontem à noite a compra de uma participação de 50% dos ativos de transmissão do grupo espanhol Abengoa no Brasil. A operação envolve apenas os ativos já em operação, reunidos em 11 diferentes concessões que operam cerca de quatro mil quilômetros de linhas. Estima-se que o negócio seja fechado em R$ 1 bilhão e vai aumentar em quase 30% o negócio de transmissão da Cemig, conforme reportagem do Valor. (Beatriz Cutait | Valor)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.