Tamanho do texto

Investidores operaram mais aliviados com discurso melhor sobre a Grécia. Ibovespa subiu 0,29%, para 61.059 pontos

selo

O discurso sobre a Grécia melhorou e as bolsas externas fecharam em alta, mas a Bolsa de Valores de São Paulo exibiu dinâmica própria, que hoje significou um vaivém entre valorizações e baixas. O sinal positivo do índice Bovespa foi garantido nos minutos finais do pregão, assim como os 61 mil pontos, resultado do ajuste.

O Ibovespa encerrou o dia em alta de 0,29%, aos 61.059,98 pontos. Na mínima, registrou 60.566 pontos (-0,52%) e, na máxima, os 61.268 pontos (+0,64%). O índice acumulou perda pela segunda semana seguida, de 2,61%. No mês, cai 5,51% e no ano a perda chega a 11,90%. O giro financeiro totalizou R$ 5,761 bilhões hoje. Os dados são preliminares.

Os investidores ficaram esperançosos hoje com uma solução para a dívida pública da Grécia depois que a chanceler alemã, Angela Merkel, e o presidente da França, Nicolas Sarkozy, falaram sobre um pacote de resgate para o país com participação voluntária dos credores privados. A nomeação pelo governo grego de um novo ministro das Finanças - Evangelos Venizelos - também deu sua contribuição para acalmar os ânimos, já que há uma boa vontade em acreditar que o país vai conseguir promover suas reformas econômicas.

As bolsas europeias subiram e as norte-americanas - exceção para o Nasdaq - também. O Dow Jones subiu 0,36%, aos 12.004,36 pontos, o S&P-500 avançou 0,30%, aos 1.271,50 pontos, e o Nasdaq terminou em queda de 0,28%, aos 2.616,48 pontos. O avanço do índice Dow Jones e do S&P-500 aconteceu apesar do dado fraco do sentimento do consumidor. O índice de sentimento do consumidor Reuters/Universidade de Michigan preliminar de junho caiu para 71,8, do nível de 74,3 em maio.

Já a Bolsa brasileira não conseguiu se firmar por muito tempo em nenhuma trajetória. Os especialistas explicaram que, depois de recuar aos 60 mil pontos, ontem, o Ibovespa perdeu importante suporte e chamou ordens de vendas. Mas até para isso não teve fôlego, tamanha a falta de interesse dos investidores. Por outro lado, os preços baratos chamaram compras. E esse balé é que conduziu o mercado de ações para lá e para cá.

Petrobras ON terminou com queda de 0,77% e Petrobras PN, em baixa de 0,21%. Pouco antes de o pregão encerrar, o Conselho de Administração da estatal decidiu não aprovar o plano de investimentos para o período de 2011 a 2015 e pediu estudos adicionais. Na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), o contrato futuro do petróleo perdeu 2,04%, aos US$ 93,01 o barril, nível mais baixo desde 18 de fevereiro.

Vale ON recuou 0,51% e Vale PNA teve desvalorização de 0,16%.

Saiba mais:

Brasil busca equilibrar jogo cambial com compra de papéis dos EUA

    Leia tudo sobre: bovespa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.