Tamanho do texto

Pedidos de auxílio-desemprego nos EUA e restrição de venda a descoberto na Europa têm impacto nos negócios

O Ibovespa caiu 1,57% nesta quinta-feira, fechando cotado em 52.953 pontos. O principal índice da praça paulista acompanhou as demais bolsas do mundo, que recuam com números e decisões financeiras desfavoráveis ao mercado. Em Nova York, Dow Jones caiu 1,51% e Nasdaq perdeu 1,95%.

Mais gente na fila. Cresce número de pedidos de auxílio-desemprego nos EUA
Bruno Gerbasi / Fotomontagem iG sobre foto da AE
Mais gente na fila. Cresce número de pedidos de auxílio-desemprego nos EUA
Os mercados reagem a dados dos EUA e à notícia de que França, Espanha e Itália vão prorrogar a proibição de vendas a descoberto. O número de trabalhadores norte-americanos que entraram pela primeira vez com pedido de auxílio-desemprego nos EUA subiu 5 mil, para 417 mil, após ajustes sazonais, na semana até 20 de agosto, informou o Departamento de Trabalho dos EUA. O dado da semana anterior foi revisado em alta para um total de 412 mil novos pedidos, acima dos 408 mil informados anteriormente.

Os economistas ouvidos pela Dow Jones esperavam queda de 3 mil pedidos para 405 mil. A média móvel de pedidos feitos em quatro semanas - calculada para suavizar a volatilidade do dado - aumentou 4.000, para 407.500.

Na Europa, os órgãos reguladores dos mercados de ações da França, da Espanha e da Itália prorrogaram a proibição a vendas a descoberto nesta quinta-feira. Na França, a AMF informou que manterá a proibição e que voltará a avaliar a situação antes do fim de setembro. Os reguladores de Espanha e Itália estenderam o prazo da medida sobre ações do setor financeiro até o dia 30 do mês que vem.

Além disso, segundo analistas, os investidores ainda operam de olho no discurso de Ben Bernanke, presidente do Banco Central dos Estados Unidos, amanhã. As bolsas europeias passaram a maior parte da manhã em alta, mas sem dados econômicos relevantes. Na hora do almoço, passaram a cair em bloco. "Dia seguirá especulações sobre o discurso de amanhã de Bernanke.”, diz em relatório o Banco Fator. A instituição acredita, no entanto, que as apostas em um novo afrouxamento monetário começam a diminuir.

Europa

Em outra sessão marcada pela volatilidade, o principal índice das ações europeias fechou em território negativo nesta quinta-feira , com o mercado abatido por especulações de que a Alemanha possa proibir vendas a descoberto. O FTSEurofirst 300 recuou 1,3%, para 925 pontos, após subir nas três sessões anteriores. O alemão DAX caiu mais forte, 1,7%.

Na Europa, o índice de confiança do consumidor da Alemanha para setembro recuou para 5,2 pontos em setembro, ante os 5,3 pontos registrados em agosto, surpreendendo levemente as expectativas de 5,1 pontos. “A despeito das leves surpresas positivas, estes resultados ficam em linha com a intensificação da desaceleração da economia global, concentrada na Zona do Euro e nos EUA”, diz o Bradesco.

Na França, continua o Bradesco,o anúncio de novas medidas de austeridade fiscal soma-se a outras tentativas de estabilização da Zona do Euro. O país anunciou ontem novo pacote fiscal, com cortes que chegarão a € 1 bilhão neste ano e € 11 bilhões no ano que vem. Ao mesmo tempo, o primeiro-ministro da França, François Fillon, divulgou revisões para as estimativas do PIB do país, que deverá crescer 1,75% em 2011 e 2012, ante taxas de 2% e 2,25%, respectivamente, anunciadas anteriormente.

“De maneira geral, tanto a revisão do PIB como as medidas fiscais são bem vindas, à medida que essas novas projeções ficam mais realistas com o contexto de uma desaceleração da economia global mais intensa e, com isso, o governo ganhará credibilidade no cumprimento de seu ajuste fiscal”, afirma o Bradesco.

Nos Estados Unidos, o Bradesco acredita que o bom resultado das encomendas de bens duráveis verificado em julho não deve se repetir nos próximos meses. “A despeito da alta apresentada pelo índice de preços de imóveis em julho, não esperamos recuperação para o setor.”

As encomendas de bens duráveis se expandiram 4,0% na margem em julho, seguindo de uma queda de 1,3% em junho, e superaram as expectativas do mercado que apontavam para um aumento de 2,0%.

Veja mais:

Bolsas dos EUA recuam e mercados europeus operam divididos

Pedidos de auxílio-desemprego sobem 5 mil nos EUA

Ações da Apple recuam 4% após renúncia de Steve Jobs

Bancos reduzem previsão de expansão da zona do euro

Bolsa de Tóquio sobe 1,5% com desvalorização do iene

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.