Tamanho do texto

Bradesco, Santander, Itaú Unibanco abrem o caixa para instalar novas agências de olho na alta do emprego e da renda

Os maiores bancos do País estão animados com a expectativa de atrair novos clientes, principalmente por conta do aumento dos níveis de emprego e renda proporcionado pelo crescimento da economia. Bradesco, Itaú Unibanco e Santander vão abrir os cofres para investir na abertura de novas agências ainda neste ano.

“A classe média está crescendo e o desemprego está em baixa, o que permite a bancarização das pessoas”, disse Carlos Lopes Galan, vice-presidente de finanças do banco Santander, durante apresentação dos resultados de 2009 a analistas. “Os recursos do IPO permitem oferecer a bancarização para essa população”, afirmou, fazendo referência à oferta de ações em Bolsa realizada pelo banco em outubro do ano passado, quando captou mais de R$ 14 bilhões.

“Achamos que é o momento do crescimento da classe média. Por isso fizemos o IPO (oferta pública inicial de ações, na sigla em inglês), para podermos acompanhar esse ciclo de crescimento”, disse o vice-presidente. Nos planos do banco está a abertura de 600 agências em quatro anos, principalmente em locais em que não está presente. A maior concentração de agências hoje está na Região Sudeste.

O Bradesco fechou o ano passado com 20,9 milhões de correntistas. “Para 2010, esperamos abrir 250 agências para elevar o aumento das vendas e da eficiência”, disse Luiz Carlos Trabuco Cappi, presidente-executivo do banco, durante a divulgação do resultado do ano passado. Em 2009, foram 441 novas agências e postos avançados, elevando o total para 6.015 pontos.

Mobilidade social

“Todos os dias buscamos pessoas não-bancarizadas. A mobilidade social será um grande motor para a ascensão social”, afirmou Cappi, lembrando que a primeira agência nova do Bradesco neste ano foi aberta na favela de Heliópolis, na zona sul de São Paulo. Somente para a abertura dessas 250 agências, o banco irá investir R$ 1 bilhão dos R$ 4,2 bilhões previstos para 2010. Os gastos com reforma e construção serão de R$ 400 milhões e o restante vai para redes, processamento e componentes.

O Itaú Unibanco não tem um orçamento definido, mas estima a abertura de 150 novas agências. “Abriremos as agências que estavam programadas. Será no País inteiro, não há uma região específica, mas haverá um pouco mais de foco no Nordeste e no Centro-Oeste”, disse o principal executivo financeiro do banco, Silvio de Carvalho, durante a apresentação do balanço do ano passado.

O Banco do Brasil ampliou sua base de clientes em 9,7% no ano passado, para um total de 52,7 milhões de pessoas. Só o número de contas correntes ativas chegou a 35 milhões, com aumento de 15,2% sobre 2008. Segundo comunicado do banco para a divulgação dos resultados, a atuação nacional, com extensa rede de agências em todas as regiões do País, permitirá ao BB aproveitar as oportunidades oriundas da expansão da classe média no Brasil, especialmente em regiões como o Nordeste do País.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.