Tamanho do texto

Banco foi acusado de não ter políticas para evitar que analisatas compartilhem informações não-públicas com clientes

Reguladores de valores mobiliários nos Estados Unidos afirmaram nesta quinta-feira que o Goldman Sachs pagará US$ 22 milhões para resolver acusações civis de que o banco de investimentos não dispõe de políticas adequadas para evitar que analistas da empresa compartilhem informações não-públicas que poderiam ser passadas aos clientes.

O acordo foi fechado em conjunto com a Securities and Exchange Commission (SEC) e a Financial Industry Regulatory Authority (FINRA).

O caso deriva de uma prática do Goldman que veio a público há alguns anos, em que analistas da área de pesquisa de ações encontravam-se com os operadores das companhias para dividir sua melhores ideias de operações. Estas ideias eram, então, repassadas, para clientes preferenciais.