Tamanho do texto

No segundo semestre de 2010, a rentabilidade deve permanecer robusta, guiada por um contínuo crescimento nos empréstimos

selo

A agência de classificação de risco Fitch Ratings afirmou que a performance do sistema bancário brasileiro tem refletido a forte recuperação da economia do País, com expectativa de uma lucratividade relativamente melhor e de crescimento nos próximos trimestres.

A Fitch espera que o crescimento geral continue durante o balanço de 2010, mas em um nível sistêmico. O crescimento não deve retornar ao ritmo visto antes da crise, e os indícios são de que haja um equilíbrio entre os empréstimos para consumidores individuais e os empréstimos corporativos e para pequenas e médias empresas, até que seja observado um nível maior de investimento.

Com a economia melhorando e uma maior liquidez, a maioria dos bancos privados retomou o crescimento nos empréstimos no segundo semestre de 2009, com as instituições procurando substituir ativos de menor retorno. Isso levou os bancos a registrarem sólidas taxas de lucratividade no primeiro semestre de 2010.

No segundo semestre de 2010, a rentabilidade deve permanecer robusta, guiada por um contínuo crescimento nos empréstimos, embora com margens potencialmente menores, devido a uma maior competição. Para a Fitch, a perspectiva para o sistema bancário brasileiro permanece positiva, com esse crescimento de empréstimos, estimulado pela forte economia, que deve se manter o fator mais importante de geração de receita no segundo semestre de 2010.

A Fitch afirmou acreditar que o Brasil está bem posicionado para se recuperar totalmente da crise e estar melhor preparado no caso de uma crise de liquidez futura. A agência lembrou que revisou a perspectiva para o Brasil para positiva, de estável, em 28 de junho passado, mantendo o rating de longo prazo do país em BBB-. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.