Tamanho do texto

Mercado de capitais registrou captação de R$ 5,1 bilhões em agosto, alta de 42,7% sobre igual mês de 2009

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) tem 13 empresas na fila para emissão de ações. Segundo boletim de setembro da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), as companhias com ofertas em análise e em andamento são, além da Petrobras, HRT Participações em Petróleo, Repsol, AmBev e IdeiasNet. Já WTorre, Sonae Sierra, Brasil Insurance, Autometal, Venti, Norskan e Multiner estão com seus processos interrompidos. A Estácio Participações, também na lista, pediu prorrogação de seu prazo de espera em 27 de agosto.

A Anbima diz que o mercado de capitais registrou captação de R$ 5,1 bilhões em agosto, volume 42,7% superior aos R$ 3,6 bilhões captados no mesmo mês do ano passado. No acumulado do ano, a captação foi de R$ 71,5 bilhões, 32,1% acima do mesmo período de 2009. As debêntures lideraram as ofertas em agosto, com R$ 2,7 bilhões, acumulando R$ 27,8 bilhões no ano, sendo 52,2% por meio de esforços restritos. Não houve emissões no mercado de renda variável.

A ausência de emissão de ações em agosto reforçou a participação das captações via renda fixa neste ano, que corresponderam a 66% do total emitido. As emissões sob esforços restritos voltaram a responder por quase a totalidade das emissões (88,4%) do segmento de renda fixa no mês, aumentando a representatividade dessa modalidade de emissão no montante ofertado no ano de 55,6% para 59,2% nesse segmento.

A segunda maior captação no mercado de capitais em agosto ocorreu via Certificados de Recebíveis Imobiliários e alcançou R$ 2,02 bilhões, refletindo o forte desempenho do setor de construção civil, que captou 14,5% do volume total de ações e debêntures este ano. A oferta de CRI, diz a Anbima, deve ganhar impulso adicional por conta do crescimento dos fundos imobiliários, que são obrigados a investir no mínimo 75% de seus recursos em ativos ou direitos imobiliários e que registram R$ 6,5 bilhões em cotas ainda em análise na CVM.

Outra importante fonte de demanda são as pessoas físicas, por conta do estímulo da isenção de imposto de renda sobre os rendimentos da aplicação nesses ativos.

No mercado externo, o mês de julho registrou captação de US$ 3,8 bilhões via Bônus, sendo 77,7% desse montante emitidos pelas empresas e o restante por bancos. Em 2010 as instituições financeiras têm sido as principais demandadoras de recursos externos, com 55,5% dos US$ 24,2 bilhões captados no período.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.