Tamanho do texto

Segundo a pesquisa mensal da federação, saldo em transações correntes em 2011 deverá ficar negativo em US$ 59,8 bilhões

selo

O saldo da balança comercial deverá encerrar 2011 com um superávit de US$ 20,2 bilhões, segundo a expectativa mediana de 31 bancos abordados pela Pesquisa Febraban de Projeções Macroeconômicas e Expectativas de Mercado de junho, entre os dias 16 e 21. Na pesquisa realizada em maio, a expectativa para o saldo comercial apontava para um superávit comercial da ordem de US$ 18,2 bilhões. Para 2012, os bancos esperam um superávit de US$ 10,9 bilhões. Na pesquisa anterior, a projeção era de saldo de US$ 11 bilhões.

Pelos cálculos dos bancos, o saldo em transações correntes em 2011 deverá ficar negativo em US$ 59,8 bilhões. Na pesquisa da Febraban de maio, a projeção de déficit na conta corrente do Balanço de Pagamentos brasileiro era de US$ 60,9 bilhões. A pesquisa deste mês também projeta um déficit da conta corrente de US$ 70,2 bilhões para 2012 ante US$ 69,7 bilhões de déficit para o ano que vem na pesquisa anterior.

Por outro lado, o Investimento Estrangeiro Direto (IED) em 2011, de acordo com os bancos que participaram da pesquisa em junho, deverá somar US$ 51,3 bilhões. Em maio, a projeção de IED para este ano era de US$ 45,7 bilhões. Para o próximo ano, a projeção dos bancos para o IED no País é de US$ 46,9 bilhões. No levantamento anterior, a previsão era de US$ 44,9 bilhões.

As reservas internacionais , mostra a pesquisa, deverão encerrar o ano em US$ 342,6 bilhões. Em 2012, as previsões apontam para um volume em reservas equivalente a US$ 357,9 bilhões. Na pesquisa anterior, as previsões eram de US$ 334,4 bilhões em 2011 e de US$ 349,6 bilhões em 2012.

Superávit primário

Os bancos consultados na Pesquisa Febraban de Projeções Macroeconômicas e Expectativas de Mercado de junho preveem um superávit primário do setor público consolidado da ordem de 2,8% do Produto Interno Bruto (PIB) no fechamento deste ano. Para 2012, a projeção é de resultado fiscal de 2,7% do PIB. Os números são idênticos aos apurados pelo levantamento feito em maio. O superávit primário é a economia do governo para o pagamento de juros da dívida pública.

A dívida líquida do governo brasileiro, também na proporção do PIB, deverá encerrar 2011 em 39,2%, de acordo com a pesquisa Febraban, e em 37,9% no ano que vem. No levantamento anterior, as projeções apontavam para uma relação dívida/PIB de 39,2% em 2011 e de 37,7% em 2012.

Operações de crédito

As operações de crédito da carteira total do Sistema Financeiro Nacional (SFN) deverão crescer 16,5% neste ano, segundo a mediana das expectativas de 31 bancos participantes da Pesquisa Febraban de Projeções Macroeconômicas e Expectativas de Mercado. Para 2012, a projeção aponta uma expansão de 15,9%. Na pesquisa anterior, as projeções eram taxas de crescimento de 16,7% em 2011 e de 15,9% em 2012.

Para as operações de crédito direcionado, a pesquisa atual aponta aumento de 18,3% neste ano e de 16,2% em 2012. As operações de crédito com recursos livres devem atingir crescimento de 15,5% neste ano e de 15% em 2012. O crédito para pessoas físicas deverá registrar taxa de expansão de 15,4% em 2011 e de 14,8% em 2012. Para pessoas jurídicas, o crédito deverá aumentar 15,5% em 2011 e 15,3% em 2012.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.