Tamanho do texto

Valor referente aos papéis ordinários - que dão direito a voto - caiu de R$ 18,00 para R$ 15,50

Após incorporar os resultados da empresa no primeiro trimestre, os dados operacionais de abril e maio e novas premissas macroeconômicas, a Fator Corretora reduziu o preço-alvo para as ações ON da BM&FBovespa, de R$ 18,00 para R$ 15,50.

O total, contudo, ainda implica uma valorização potencial de 39,3% ante o valor de fechamento do papel no pregão passado e, portanto, a recomendação da instituição ficou mantida em "compra". Relatório escrito pelos analistas Jacqueline Lison e Mateus Renault destaca que 2011 começou de forma desafiadora para a bolsa brasileira, diante de eventos internacionais e internos, o que afetou negativamente o volume negociado.

Apesar dos números dos primeiros cinco meses do ano terem ficado abaixo das estimativas da Fator no segmento de renda variável, a corretora ressalta que a BM&FBovespa deverá apresentar trajetória de crescimento nos próximos anos em função de fatores como o aumento natural da capitalização do mercado.

A empresa ainda deverá ser impulsionada pela ampliação e criação de parcerias e novos produtos, além do desenvolvimento do mercado de derivativos. A Fator considera que as perspectivas de longo prazo permanecem positivas, mas promoveu algumas alterações nas projeções financeiras para a BM&FBovespa.

A estimativa para a receita líquida da bolsa neste ano caiu de R$ 2,154 bilhões para R$ 1,97 bilhão, enquanto a de 2012 passou de R$ 2,522 bilhões para R$ 2,21 bilhões. Já a previsão para o lucro líquido em 2011 recuou de R$ 1,37 bilhão para R$ 1,224 bilhão, e a estimativa para o próximo ano foi ajustada de R$ 1,562 bilhão para R$ 1,409 bilhão.

Pelos cálculos da Fator, pelo critério EV/Ebitda (indicador que mostra o valor da empresa sobre a sua geração de caixa e que pode dar uma ideia do prazo de retorno do investimento), as ações da BM&FBovespa serão negociadas a um múltiplo de 14,5 vezes em 2011, ante uma projeção anterior de 13,3 vezes.

Já ao considerar o critério de relação Preço/Lucro (P/L, que também dá uma indicação do prazo para o investidor reaver a aplicação), os múltiplos da empresa serão negociados a 18,6 vezes neste ano, também maior que o total anterior (16,6 vezes). Por volta das 16h, as ações ON da BM&FBovespa estavam entre as principais baixas do Ibovespa, ao recuarem 2,42%, a R$ 10,86.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.