Tamanho do texto

As Bolsas europeias fecharam próximas da estabilidade, em direções divergentes, oscilando entre o otimismo com a expansão da economia dos EUA e a relutância em manter ações durante o fim de semana, já que na terça e na quarta-feira será realizada a reunião de política monetária do Federal Reserve (Fed, banco central americano)

selo

As Bolsas europeias fecharam próximas da estabilidade, em direções divergentes, oscilando entre o otimismo com a expansão da economia dos EUA e a relutância em manter ações durante o fim de semana, já que na terça e na quarta-feira será realizada a reunião de política monetária do Federal Reserve (Fed, banco central americano). O índice Stoxx Europe 600 fechou em alta de 0,2%, aos 265,96 pontos. Na semana o índice caiu 0,9% e no mês subiu 3,2%.

Os indicadores econômicos dos EUA dominaram a atenção dos investidores. O PIB norte-americano cresceu 2,0% no terceiro trimestre e o índice dos gerentes de compras (PMI) de atividade na manufatura do Instituto para Gestão de Oferta (ISM) de Chicago subiu para 60,6 em outubro. Por outro lado, o índice de sentimento do consumidor medido pela Reuters/Universidade de Michigan final de outubro caiu para 67,7.

Na Europa, o destaque foi o dado sobre vendas no varejo da Alemanha, que surpreendeu o mercado com uma queda de 2,3% em setembro, contra as estimativas de alta de 0,4%. Também mereceu atenção o acordo fechado entre os líderes da União Europeia para buscar uma mudança limitada no tratado do bloco, o Tratado de Lisboa, que será necessária para criar um mecanismo permanente para lidar com crises em países da zona do euro.

O centro das atenções, no entanto, continuou sendo a possível retomada da compra de ativos pelo Fed, que pode ser anunciada na quarta-feira. As eleições legislativas nos EUA que serão realizadas na terça-feira também provocaram nervosismo.

Em Londres, o índice FT-100 fechou em queda de 2,73 pontos (0,05%), aos 5.675,16 pontos. As ações da British Airways caíram 3,6%, depois de a companhia divulgar um lucro semestral, mas afirmar que está cautelosa com as perspectivas para seus negócios. As mineradoras, que ontem haviam ajudado o índice a quebrar uma sequência de duas sessões de queda, declinaram hoje. Xstrata perdeu 3,2% e Rio Tinto recuou 1,7%.

Ações do setor de serviços públicos subiram na França, mas o índice CAC-40 de Paris fechou em baixa de 1,34 pontos (0,03%), aos 3.833,50 pontos. GDF Suez avançou 1,6% e EDF ganhou 1%. A petroleira Total não conseguiu se beneficiar do anúncio de aumento no lucro do terceiro trimestre e fechou praticamente estável, com -0,03%

O índice DAX da Bolsa de Frankfurt fechou em alta de 6,09 pontos (0,09%), aos 6.601,37 pontos. BMW subiu 3,3%, após ser elevada para "compra" de "neutra" pelo Goldman Sachs, que afirmou que vai continuar vendo valor significativo no setor automotivo. Daimler avançou 1%, se recuperando das perdas registradas no início da sessão, depois de ter sido rebaixada para "manter" de "comprar" pelo Société Générale.

Na Bolsa de Madri, o índice Ibex-35 fechou com ganho de 59,40 pontos (0,55%), aos 10.812,90 pontos. O índice FTSE-MIB, da Bolsa de Milão, caiu 59,01 pontos (0,27%) e fechou em 21.450,61 pontos. Na Bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 fechou com alta de 39,25 pontos (0,49%), a 8.082,76 pontos. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.