Tamanho do texto

As bolsas europeias fecharam em alta, impulsionadas pelo setor bancário, que compensou as perdas das mineradoras

selo

As bolsas europeias fecharam em alta, impulsionadas pelo setor bancário, que compensou as perdas das mineradoras. O índice pan-europeu Stoxx 600 teve ganho de 0,81 ponto (0,30%), a 266,64 pontos.

Nos EUA, a Associação Nacional das Construtoras de Casas (NAHB, na sigla em inglês) informou que seu índice do mercado de moradia nos EUA subiu para 16 em outubro, de 13 em setembro, o primeiro aumento em cinco meses. A previsão dos analistas era que o índice ficasse em 14. Uma leitura acima de 50 indica que mais construtoras veem as condições de venda positivamente do que negativamente. O índice não atinge 50 há mais de três anos.

No campo corporativo, o Citigroup divulgou que seu lucro líquido subiu fortemente no terceiro trimestre, para US$ 2,17 bilhões, de US$ 101 milhões no mesmo período do ano passado. Incluindo dividendos preferenciais, os ganhos por ação foram de US$ 0,07, diante do prejuízo de US$ 0,27 por ação registrado no terceiro trimestre de 2009. Analistas ouvidos pela Thomson Reuters esperavam ganhos de US$ 0,06 por ação. Já o Royal Bank of Canada chegou a um acordo para comprar o gestor de fundos de renda fixa britânico BlueBay Asset Managemente por 963 milhões de libras (US$ 1,531 bilhão).

Enquanto isso, os investidores estão analisando quanto os mercados já precificaram uma possível nova rodada de afrouxamento quantitativo pelo Federal Reserve. Na sexta-feira, o presidente do Fed, Ben Bernanke, reforçou a visão de que novas medidas de estímulo devem ser adotadas, embora não tenha afirmado literalmente que é isso que o banco central vai fazer. "Com os mercados convencidos de que haverá mais afrouxamento quantitativo, os investidores estão mais inclinados a realizar lucros e abandonar posições de risco antes do anúncio oficial", disseram analistas da FxPro.

O índice FT-100, da Bolsa de Londres, fechou em alta de 39,15 pontos (0,69%), em 5.742,52 pontos. Apesar dos ganhos, a IG Index disse que o mercado de ações parece instável e que existe potencial para uma realização de lucros, com o FT-100 se aproximando das máximas do ano. O setor bancário teve um desempenho positivo hoje (Lloyds +2,88%, Barclays +1,49%, HSBC +1,09%). O BlueBay avançou 29,62%. Já o setor de mineração fechou com perdas, prejudicado pela retração nos preços dos metais e após o HSBC rebaixar a recomendação da Xstrata (-0,46%), Antofagasta (-1,45%) e Vedanta Resources (-1,53%). A notícia de que a Rio Tinto (-1,52%) e a BHP Billiton (-0,64%) abandonaram planos de uma joint venture na área de minério de ferro também afetou o setor.

Na Bolsa de Frankfurt, o índice Xetra-DAX fechou em alta de 24,33 pontos (0,37%), em 6.516,63 pontos. As ações do Deutsche Bank ganharam 1,59% e as da Deutsche Boerse avançaram 2,75%. A Lufthansa ganhou 3,50% e a Porsche teve valorização de 2,82%. As ações da mineradora Kali & Salz Beteiligungs subiram 0,84%, após o jornal Frankfurter Allgemeine Zeitung noticiar que o executivo-chefe da empresa, Norbert Steiner, teria dito que consideraria qualquer oferta de aquisição. No campo negativo, a siderúrgica ThyssenKrupp perdeu 1,01%.

O índice CAC-40, da Bolsa de Paris, fechou em leve alta de 7,13 pontos (0,19%), em 3.834,50 pontos. Mais uma vez os bancos foram o destaque positivo, com o Société Générale ganhando 2,00% e o Crédit Agricole subindo 1,66%. A exceção foi o BNP Paribas, que teve queda de 0,15%. A Pinault-Printemps-Redoute (PPR), grupo que administra as grifes Gucci e YSL, perdeu 2,77% após ter sua recomendação rebaixada pela S&P Equity Research. Hoje o grupo anunciou que está querendo construir uma carteira maior de marcas de lazer e esportes. O Carrefour também terminou no vermelho (-1,04%) depois de o Citigroup reduzir a recomendação do grupo para "manter".

Na Bolsa de Madri, o índice Ibex-35 fechou em alta de 29,50 pontos (0,27%), em 10.897,70 pontos. Os papéis do Santander tiveram ganho de 0,64%. O banco anunciou que chegou a um acordo com a Qatar Holding pelo qual esta empresa subscreverá uma emissão de títulos no valor de US$ 2,719 bilhões, que serão obrigatoriamente permutáveis por ações já emitidas ou a serem emitidas pelo Santander Brasil. O investimento representa 5% do capital social da unidade brasileira.

O índice FTSE-MIB, da Bolsa de Milão, avançou 196,41 pontos (0,93%) e fechou em 21.258,59 pontos. Na Bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 fechou com ganho de 49,15 pontos (0,63%), a 7.860,58 pontos. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.