Tamanho do texto

SÃO PAULO - Os investidores estrangeiros sequem colocando para baixo sua "aposta" de valorização do real

. No pregão de quarta-feira, a posição vendida (aquela que ganha com a queda do dólar) caiu em US$ 1,5 bilhão, para US$ 5,17 bilhões, a menor desde 8 de setembro. Cabe lembrar que na máxima do mês, observada em 15 de outubro, o estoque vendido era de US$ 11,08 bilhões. Coincidência ou não, a redução das posições começou logo após a segunda rodada de aumento no Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), que além dos ingressos externos para a renda fixa, também pegou os depósitos de margens necessários às operações na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F). Enquanto os estrangeiros compram dólares para reduzir a sua posição vendida. Os bancos vendem dólares e, assim, reduzem o tamanho de sua posição comprada (aquela que ganha com a valorização da moeda americana). Ontem, a posição comprada foi reduzida em US$ 1,50 bilhão, para US$ 3,54 bilhões, a menor desde 1º de setembro. Na máxima do mês, esse estoque comprado chegou a US$ 12,9 bilhões. Cabe lembrar que no pregão da sexta-feira será fixada a Ptax (média das cotações ponderada pelo volume) que liquidará os contratos futuros. Os investidores podem deixar contratos em aberto para liquidação ou rolar suas posições para o vencimento seguinte. (Eduardo Campos | Valor)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.