Tamanho do texto

SÃO PAULO - Confiantes na aprovação do novo pacote de medidas de austeridade pelo Parlamento grego, os investidores intensificaram as compras nas bolsas da Europa, promovendo fortes avanços nos principais indicadores da região

. Há pouco, o FTSE-100, da bolsa de Londres, ganhava 1,45%, aos 5.850,30 pontos, puxado por bancos e mineradoras. Os papéis do Barclays subiam 3,44%, seguidos pelos do Lloyds (1,21%) e do Royal Bank Of Scotland (0,89%). Entre as mineradoras, as ações da BHP Billiton tinham alta de 1,97%, enquanto as da Rio Tinto, da Anglo American e da Xstrata avançavam 1,62%, 1,36% e 1,79%, respectivamente. Em Frankfurt, a alta de 1,82% no índice DAX, que marcava 7.300,80 pontos, era encabeçada pelas ações da Allianz, que ganhavam 3,41%. Os papéis do Deutsche Bank subiam 1,33% e os do Commerzbank, 3,47%. As ações do BNP Paribas, por sua vez, avançavam 2,83% na bolsa de Paris e levavam o índice CAC-40 à valorização de 1,85%, com 3.922,30 pontos. Os papéis do Société Générale, por sua vez, subiam 3,29%. No setor de varejo, as ações do Carrefour ganhavam 0,84%, depois da proposta de fusão das operações no Brasil com o Grupo Pão de Açúcar. As maiores altas, no entanto, eram contabilizadas pelas bolsas de Madri e Milão, mercados que poderiam ser mais fortemente atingidos por uma eventual moratória na Grécia. O Ibex-35 subia 2,44%, para 10.179,50 pontos, enquanto o FTSE-MIB ganhava 2,40%, aos 19.922,00 pontos. Destaque para as ações do Unipol, que avançavam 7,06% em Milão. Na bolsa espanhola, os papéis do Santander e do BBVA tinham alta de 3,12% e 2,98%, respectivamente. (Francine De Lorenzo | Valor, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.