Tamanho do texto

Investidores estão na expectativa de entrada de recursos no país nos próximos dias

O dólar opera com desvalorização acentuada ante o real na manhã desta terça-feira. Entre os motivos está a expectativa de entrada de recursos no país nos próximos dias, explica o gerente de câmbio da Treviso Corretora de Câmbio, Reginaldo Galhardo. "O mercado já trabalha com a possibilidade de grandes empresas e bancos voltarem a captar mais dinheiro no exterior, com prazos mais longos e custo menor", diz.

Às 10h35, o dólar comercial declinava 1,33%, cotado a R$ 1,8096 na compra e a R$ 1,8103 na venda. No mercado futuro, o contrato de fevereiro negociado na BM&FBovespa tinha perda de 1,19%, a R$ 1,822. Nesta segunda-feira, o dólar comercial recuou 0,86% e fechou cotado a R$ 1,835 na venda, mínima do dia. No mercado de câmbio externo, o Dollar Index, que mede o desempenho da moeda americana em relação a seis dividas, registrava ligeira perda de 0,17%, aos 80,84 pontos.

O euro subia 0,23% ante o dólar, a US$ 1,279. As commodities operam em alta, o que favorece a valorização das chamadas moedas commodities. Na Europa, o governo da Hungria vendeu hoje a oferta integral de 45 bilhões de florins (US$ 181,7 milhões) em notas do Tesouro de três meses em seu leilão semanal, informou a Agência de Administração da Dívida do Governo.

Os papéis, com vencimento em 18 de abril, saíram a um rendimento médio de 7,98%, acima da taxa paga em leilão semelhante realizado há uma semana, quando ficou em 7,67%. A demanda pelos papéis superou em quase três vezes a oferta. Na agenda de indicadores americana, o dia reserva os estoques no atacado das empresas. Está prevista alta de 0,6%, após variação positiva de 1,6%. Também são aguardados discursos de dois membros do Federal Reserve (Fed), banco central americano.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas