Tamanho do texto

Presidente do BC europeu levantou a possibilidade de a Europa ter um único ministério das Finanças

O dólar registra desvalorização desde o início do pregão, em linha com o mercado de câmbio externo, no qual a moeda americana perde das principais moedas rivais, enquanto o euro ganha força.

A apreciação da moeda comum europeia encontra respaldo em um discurso do presidente do Banco Central Europeu (BCE), Jean-Claude Trichet, que chegou a levantar a possibilidade de a Europa ter um único ministério das Finanças.

Ele também sugeriu que a União Europeia tivesse um controle maior sobre as políticas econômica e fiscal de países-membros que receberam um pacote de socorro, mas não conseguiram contornar sua dívida, caso da Grécia.

Por volta das 10h40, o dólar comercial recuava 0,62%, cotado a R$ 1,584 na compra e a R$ 1,586 na venda. Na mínima, foi a R$ 1,583. No mercado futuro, o contrato de julho negociado na BM&F caía 0,65%, a R$ 1,593.

No mercado de câmbio externo, há pouco, o Dollar Index, que mede o desempenho do dólar ante seis divisas rivais, tinha queda de 0,31%, aos 74,44 pontos. Por sua vez, o euro subia 0,68% em relação à moeda americana, a US$ 1,445.

As commodities têm ligeira alta. Minutos atrás, o índice CRB observava apreciação de 0,08%, aos 346,23 pontos. Nas bolsas de valores, em Wall Street, o Dow Jones recuava 0,16%, aos 12.270 pontos, enquanto o S&P 500 declinava 0,19%, aos 1.312 pontos. O Nasdaq, por sua vez, registrava leve valorização de 0,04%, aos 2.770 pontos.

No mercado interno, o Índice Bovespa operava perto da estabilidade, com ligeiro recuo de 0,07%, aos 63.364 pontos. Na agenda de indicadores americana, os investidores souberam que os novos pedidos de seguro-desemprego nos Estados Unidos somaram 422 mil na semana fechada em 28 de maio, o que representa queda de 6 mil em relação à leitura de uma semana antes (428 mil, revista).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.