Tamanho do texto

A tendência da moeda é de volatilidade, acompanhando o comportamento da moeda norte-americana no exterior

Como previam os operadores, o dólar comercial abriu o dia com valorização de 0,11%, a R$ 1,779, ajustando-se à pressão de alta que houve no mercado futuro no final da tarde desta terça-feira. Ainda assim, a tendência é de volatilidade, acompanhando o comportamento da moeda norte-americana no exterior. Às 10h25, a moeda norte-americana subia 0,34%, cotada a R$ 1,783.

Pela manhã, informações de que o Fundo Monetário Internacional (FMI) estaria disposto a aumentar o volume de recursos do seu fundo de amparo à economia global, em US$ 1 trilhão melhorou o clima dos negócios , que até então era de apreensão.

Sobre o FMI, de oficial, até o momento, o que se tem é um comunicado diretora-gerente, Christine Lagarde, afirmando que os funcionários do Fundo estão estudando maneiras de aumentar os cofres da instituição o suficiente para que possa "cumprir suas funções e representar um papel pleno e construtivo para assegurar a estabilidade global". Assim, os investidores devem procurar mais detalhes e confirmações oficiais sobre o assunto no decorrer do dia

O destaque interno do dia é sem dúvida o encerramento da primeira reunião do Copom de 2012 e o mercado acredita que o ano começará sem surpresas no que se refere a juros. De 80 economistas ouvidos pelo serviço de pesquisas da Agência Estado, o AE Projeções, 79 acreditam que haverá um corte de 0,5 ponto porcentual na taxa. Isso levaria a Selic para 10,5% ao ano. O único economista divergente, dos 80 consultados, espera que o corte seja menor, de 0,25 ponto porcentual.

Os investidores em câmbio devem prestar muito atenção, também, nos dados do fluxo cambial da semana passada. As expectativas são de um resultado positivo forte, em consequência das captações que marcaram este início de ano. Se isso não se confirmar, pode haver ajustes.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.