Tamanho do texto

SÃO PAULO - Depois do forte ajuste de alta da terça-feira, os vendedores voltam a pautar os negócios no câmbio local

. O diretor da Pioneer Corretora, João Medeiros, comenta que o dólar responde ao cenário externo mais tranquilo desta quarta-feira. As bolsas recuperam perdas no mercado internacional e o dólar devolve parte da valorização registrada ante o euro e outras moedas. A moeda comum europeia subia mais de 1,7%, para US$ 1,397. Já o Dollar Index, que mede o desempenho da divisa americana ante uma cesta de moedas, perdia 1,3%, para 77,11 pontos. Por aqui, o dólar comercial registrava queda de 0,71%, a R$ 1,675 na venda, por volta das 13h40. Na mínima, a moeda foi a R$ 1,671. No mercado futuro, o dólar para novembro, negociado na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F), caía 0,50%, a R$ 1,6785. Como acontece toda a quarta-feira, o Banco Central apresentou os dados sobre fluxo cambial semanal. Na semana encerrada dia 15, o fluxo foi positivo em apenas US$ 209 milhões, resultado de entrada comercial de US$ 390 milhões e saída financeira de US$ 181 milhões. Mesmo com esse fluxo pouco representativo, o BC seguiu firme na compra de dólares, tomando US$ 1,47 bilhão na semana. No acumulado do mês até o dia 15, o fluxo estava positivo em US$ 2,39 bilhões, contra US$ 4,24 bilhões em compras do BC. O que a autoridade monetária compra além do fluxo é ofertado pelos bancos, que devem ter ampliado a sua posição vendida no câmbio à vista em US$ 1,85 bilhão (diferença entre fluxo e compra), para US$ 14,27 bilhões. (Eduardo Campos | Valor)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.