Tamanho do texto

Por volta das 13 horas, moeda americana registrava valorização de 0,31%, a R$ 1,607 na venda

Conforme se esvai o tom positivo que marcou a abertura do pregão de segunda-feira cresce a demanda por moeda americana, tanto aqui quanto no mercado externo. Por volta das 13 horas, o dólar comercial registrava valorização de 0,31%, a R$ 1,607 na venda, depois de cair a R$ 1,591.

O mesmo vale para o mercado futuro. O dólar para setembro, negociado na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), apontava alta de 0,34%, a R$ 1,611, mas fez mínima a R$ 1,596. O giro no interbancário estava em US$ 750 milhões, cerca de metade do considerado normal para o horário.

No câmbio, o Dollar Index, que mede o desempenho da divisa americana ante uma cesta de moedas, subia 0,10%, a 74,07 pontos depois de cair 0,24%. Já o euro apontava leve baixa de 0,06%, a US$ 1,437, depois de subir 0,34%.

A segunda-feira começou com bolsas em firme alta e moedas ganhando do dólar em uma tentativa de recuperação das perdas acentuadas na semana passada.

Sem dados positivos para se apegar, a história que se propaga nas mesas é a expectativa de que o presidente do Federal Reserve (Fed), banco central americano, Ben Bernanke, poderá anunciar algum tipo de estímulo à economia na sexta-feira, durante sua participação na conferência de política monetária de Jackson Hole, nos Estados Unidos.