Tamanho do texto

BC dos EUA manteve juro básico entre 0 e 0,25% ao ano; investidores agora aguardam pronunciamento de Bernanke, presidente do banco

A movimentação nos mercados após a decisão do Federal Reserve (Fed), banco central americano, não sofreu grande alteração. Conforme o previsto, o juro básico segue entre zero e 0,25% ao ano e o programa de compra de US$ 600 bilhões em títulos do Tesouro, o chamado "Quantitative Easing 2", será mesmo encerrado no fim do mês. O Fed continua, no entanto, investindo os pagamentos que recebe dos ativos que já estão em carteira.

Os investidores aguardam, agora, o pronunciamento que o presidente do Fed, Ben Bernanke, faz logo mais, por volta das 15h.

Em Wall Street, perto de 14h, o Dow Jones seguia com leve baixa de 0,03%. Na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), as compras continuavam, com o Ibovespa avançando 0,48%. No câmbio, o dólar comercial mostrava leve baixa de 0,12%, a R$ 1,587. No mercado futuro, o dólar para julho tinha leve queda de 0,09%, a R$ 1,589.

No comunicado apresentado junto com a decisão, o Fed reconhece que o ritmo de recuperação está mais lento do que o previsto. No entanto, avalia que isso é reflexo de eventos de efeito temporário, como a redução de consumo em função do maior preço dos combustíveis e os problemas nas cadeias de produção ocasionados pelo terremoto que varreu o Japão.

O Fed aponta que inflação subiu recentemente, mas que esse também é um fenômeno temporário e destaca que as expectativas de inflação de longo prazo continuam estáveis. "Ainda assim, o comitê continuará a prestar atenção à evolução da inflação e das expectativas", escreveu o BC americano.

Ainda de acordo com o comunicado, o mercado de trabalho, que também perdeu fôlego nos últimos meses, deve retomar o ritmo de recuperação nos próximos trimestres, o que resultará, também, em redução gradual da taxa de desemprego.

O comunicado mantém a frase que indica que os juros vão seguir próximos de zero por um longo período de tempo e confirma o encerramento do programa de compra de títulos do Tesouro, que teve início em novembro do ano passado.

Projeção de crescimento

No comunicado, o Fed rebaixou a previsão de crescimento dos Estados Unidos em 2011 para menos de 3%, entre 2,7% e 2,9%, ao constatar que a economia está crescendo a um ritmo menor que o esperado, segundo informou em comunicado. Há apenas dois meses, a previsão para este ano era de 3,1% a 3,3%. Para 2012 também revisou para baixo, a uma faixa entre 3,3% e 3,7%, quando há dois meses o estimava entre 3,5% e 4,2%.

*Com Valor e EFE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.