Tamanho do texto

O Débito Direto Autorizado (DDA), serviço de apresentação eletrônica de boletos, completou um ano hoje com 4,811 milhões de usuários cadastrados, 80% dos quais são pessoas físicas

selo

O Débito Direto Autorizado (DDA), serviço de apresentação eletrônica de boletos, completou um ano hoje com 4,811 milhões de usuários cadastrados, 80% dos quais são pessoas físicas. Em 12 meses, foram processados 180 milhões de boletos, o equivalente a 10% do volume de cobrança do período, segundo números divulgados hoje pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban).

Segundo o diretor geral da Febraban, Wilson Levorato, as operações com o DDA superaram as expectativas do projeto e viraram modelo para outros países. A projeção inicial era de cerca de 2,4 milhões de cadastrados e pouco mais de 114 milhões de boletos processados para o primeiro ano de operação.

As principais formas de apresentação dos boletos são a internet e os terminais de autoatendimento. Segundo Joaquim Kavakama, superintendente geral da Câmara Interbancária de Pagamentos (CIP), não houve nenhuma fraude no período. A CIP faz o processamento das operações com o DDA e investiu R$ 20 milhões em tecnologia para a primeira fase do projeto. Em média, são processados 864,73 mil boletos por dia.

Setor de serviços

O desafio para os próximos anos é atrair o setor de serviços para o DDA, avalia Levorato. "Daqui a alguns anos, o DDA vai estar em um patamar astronômico de operações", afirmou. A meta é que em 5 anos o volume de contas processadas via DDA represente 50% do total de pagamentos feitos no Brasil.

Hoje, os boletos emitidos por concessionárias, como contas de luz, telefonia e água estão fora do sistema do DDA. Segundo Joaquim Kavakama, superintendente geral da Câmara Interbancária de Pagamentos (CIP), falta definir um padrão comum para estas contas, que são diferentes tecnologicamente dos boletos tradicionais. Ainda não há um prazo para esses boletos entrarem no DDA. A Febraban criou um grupo de trabalho para discutir a padronização dessas contas.

A federação também quer atrair os boletos que ainda estão fora do sistema, como as contas de condomínios, escolas e seguradoras. Dos 180 milhões de boletos processados no primeiro ano do DDA, 80% foram emitidos por empresas, segundo Leonardo Ribeiro, do Comitê Gestor do Projeto DDA da Febraban. O setor de serviços responde hoje por apenas 20% do total.

Em 12 meses, foram processados 180 milhões de boletos no DDA. Segundo a Febraban, desse total, apenas 1% das contas foram protestadas por falta de pagamento na data de vencimento. Para Levorato, a principal vantagem do DDA é a eficiência, pelo fato de ser totalmente eletrônico, eliminando impressão de papel e custos com postagem de cartas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.