Tamanho do texto

Bancos pagaram juro de 9,6% ao ano para conseguir os recursos para os empréstimos às pessoas físicas, diz BC

selo

A redução do juro básico da economia iniciada em agosto do ano passado, somada à grande liquidez no mercado financeiro global e brasileiro, derrubaram o custo de captação para os bancos no mês de fevereiro. Essa queda foi observada especialmente na captação de recursos voltados aos empréstimos às pessoas físicas, onde o custo ficou no menor patamar da série histórica.

Dados do Banco Central mostram que, na média, os bancos pagaram juro de 9,6% ao ano para conseguir os recursos - como nos CDBs - para os empréstimos às pessoas físicas. Em janeiro, a taxa de captação nesse segmento estava em 10,2% e em fevereiro de 2011, em 12,6% ao ano. Até então, o menor custo de captação na pessoa física havia sido em julho de 2009, quando chegou a 9,7%.

Nas operações de crédito para empresas, a taxa de captação também caiu, passando de 10,2% para 9,8%. Um ano antes, em fevereiro de 2011, a captação para os empréstimos custava, em média, 11,4% ao ano. Neste caso, porém, a marca histórica é de outubro de 2002, com 5,8%.

Na média geral de todo o mercado de crédito, o custo de captação para os bancos recuou de 10,2% ao ano em janeiro para 9,7% em fevereiro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.