Tamanho do texto

O crédito ao setor privado retrocedeu em setembro na Eurozona, uma situação sem precedentes desde a criação do espaço da moeda única, o que mostra que a recuperação econômica da Europa está cheia de incertezas.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237577536963&_c_=MiGComponente_C

O crédito no setor privado recuou 0,3% em ritmo anual em setembro na Eurozona (16 países da União Europeia), após uma alta 0,1% no mês anterior, anunciou o Banco Central Europeu (BCE).

Esta é a primeira contração do crédito ao setor privado desde a o início da série estatísticas em 1992.

A massa monetária, indicador avançado da inflação, teve alta de 1,8% em setembro na comparação com o mesmo período do ano anterior, em uma clara desaceleração em relação a agosto (+2,6%), segundo dados provisórios.

Os economistas apostavam em uma alta de 2,1%, segundo a agência Dow Jones Newswires.

Em agosto, o crédito teve alta mínima de 0,1% e os economistas esperavam números negativos em setembro.

"Isto reforça as preocupações de que a fragilidade dos empréstimos concedidos pelos bancos contenha a recuperação econômica da Eurozona", afirma o economista Howard Archer, da IHS Global Insight.

"Apesar da economia da Eurozona estar se recuperando com o crescimento no terceiro trimestre de 2009, os problemas de crédito são uma séria desvantagem para a recuperação nos próximos meses", destacou.

Leia mais sobre: crédito

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.