Tamanho do texto

Redução dos juros no Japão, dados positivos no setor de serviços americano e valorização das commodities impulsionam as bolsas

Na continuação da trajetória positiva vista nos últimos seis pregões, o mercado acionário brasileiro acompanha o bom humor do ambiente internacional, com a valorização da maior parte dos papéis do Ibovespa. A redução dos juros básicos no Japão, um indicador melhor que o previsto do setor de serviços americano em setembro e a expressiva valorização das commodities impulsionam o desempenho das bolsas, nesta jornada.

Próximo das 15h40, o índice subia 1,20%, aos 71.227 pontos, com volume negociado de R$ 5,934 bilhões. Este desempenho garante ao Ibovespa o maior patamar desde 9 de abril (71.417 pontos), com uma aproximação do nível máximo do ano (71.784 pontos).

No mesmo horário, em Wall Street, o índice Dow Jones subia 1,74%, enconstando nos 11 mil pontos, enquanto o Nasdaq ganhava 2,17% e o S&P 500 tinha valorização de 1,98%.

No frot corporativo, há pouco, as maiores altas do Ibovespa partiam dos papéis Telemar PN (3,66%, a R$ 24,61), Copel PNB (3,48%, a R$ 40,10) e MMX ON (3,43%, a R$ 13,25). Além disso, as ações PNA da Vale subiam 0,91%, a R$ 47,19, enquanto OGX Petróleo ON se apreciava em 0,26%, a R$ 22,76.

Na direção contrária, entre as poucas quedas do dia, destaque para os papéis da Petrobras. Enquanto as ações PN caíam 1,20%, a R$ 27,05, os papéis ON cediam 1,34%, a R$ 30,15. Também em baixa, as ações ON da CSN perdiam 1,35%, a R$ 29,02, e, no setor de telecomunicações, Vivo PN caía 1,27%, a R$ 48,07, e Tim Participações ON recuava 0,27%, a R$ 7,19.

(Com Valor Online)

    Leia tudo sobre: bovespa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.